Nuvens de Ketchup - Annabel Pitcher

Título Original: Ketchup Clouds
Autor (a): Annabel Pitcher
Data de Publicação: 2015
Número de Páginas:270
Editora: Rocco
Classificação:  + 0,5


A trama gira em torno da jovem Zoe, que narra, por meio de cartas enviadas a um prisioneiro condenado à morte, seu dia a dia com a família, seus envolvimentos românticos e um segredo sombrio que ela não tem coragem de contar a mais ninguém. As inúmeras dimensões dramáticas da jovem protagonista e a narrativa cativante mostram o desabrochar da juventude e percorrem temas como amor, culpa, luto, erros e acertos de forma sensível e bem-humorada.

Nuvens de Ketchup recebeu o prêmio Edgar Allan Poe de melhor romance juvenil e o prêmio Waterstones nas categorias geral e juvenil, mas não foram esses os motivos que me fizeram escolhê-lo entre os inúmeros livros da minha estante, a verdade é que fui atraída por seu título diferente e nada mais. Não vi a sinopse, tão pouco procurei por resenhas dele na blogosfera, logo, quando comecei a leitura não sabia o que esperar.

O livro é narrado em primeira pessoa por Zoe (esse talvez não seja seu nome verdadeiro), exceto o último capítulo, de duas formas: a narrativa comum retratando fatos do presente, e através de cartas, narrando fatos do passado, que eram enviadas a Stuart - a quem ela chamava carinhosamente de Stu - um homem que matou a esposa e estava esperando execução no Corredor da Morte. Logo no primeiro capítulo ficamos sabendo o motivo de Zoe mentir sobre seu verdadeiro nome, seu endereço e de ter escolhido Stu como seu confidente, ela escondia um segredo sombrio e terrível. As cartas eram como uma confissão e ela acreditava que Stu entenderia seus sentimentos e tudo pelo qual ela estava passando. 

Apesar de ficarmos sabendo qual é esse segredo logo de início, Zoe precisou de muitas cartas e um livro inteiro para contar como tudo aconteceu e isso me deixou um pouco em alguns momentos. Ela devaneava bastante enquanto escrevia, perdia a linha de raciocínio e tudo que eu queria é que ela fosse direto ao ponto e me contasse sua história. Quando isso realmente aconteceu e os detalhes do segredo começaram a vir à tona conhecemos uma garota egoísta, envolvida com dois garotos ao mesmo tempo, mesmo que ela estivesse apaixonada por apenas um deles.

O romance não me convenceu, pelo menos inicialmente. Achei tudo rápido e intenso demais, não existiam motivos para sentimentos tão profundos. Mas no decorrer da história muitas coisas aconteceram e a intensidade dos sentimentos começou a fazer um pouco de sentido. Mesmo ainda achando tudo muito atropelado acabei aceitando que entre ela e um dos garotos existia algo verdadeiro.

Não sabemos qual é exatamente a idade de Zoe, mas as entrelinhas deram a entender que ela teria entre 16 e 17 anos. Entretanto, a impressão que eu tive, pelo menos nas primeiras páginas, é que a narradora ainda era uma pré-adolescente com não mais do que 11 ou 12 anos. A "voz" de Zoe soava  jovem demais e por vezes imatura como uma criança e foi uma surpresa enorme descobrir logo mais a frente que ela já estava praticamente no final do ensino médio.

O livro também retratou outros aspectos da vida da protagonista. Além de ter que lidar com a culpa pelo que aconteceu, Zoe tinha problemas em casa. Uma de suas irmãs era surda e ainda estava aprendendo a conviver com isso, a outra inventava mentiras para chamar atenção. Seu pai havia perdido o emprego e sua mãe sempre provocava discussões. Todos os personagens, dos adultos as crianças, tinham vulnerabilidades, cometiam erros e tinham seus pontos fortes, eles eram humanos.

A narrativa de Annabel Pitcher é envolvente e consegue prender a atenção do leitor, mesmo que a história não seja exatamente o que você estava esperando e a protagonista não tenha te conquistado. A autora conseguiu me enganar direitinho várias vezes e mesmo sabendo de um modo geral o que havia acontecido, alguns desdobramentos me pegaram de surpresa.

Esse livro poderia ter sido muito mais do que foi, entretanto não dá para negar que em muitos momentos a dor, a angústia, a culpa e o sofrimento de Zoe me tocaram lá no fundo. A personagem amadureceu bastante no decorrer da história e eu acredito que mesmo com a consciência pesada e o coração machucado, ela conseguiu superar e seguir em frente.

Nuvens de Ketchup é uma história sobre o primeiro amor, perdão, conhecer a si mesmo e sobre recomeços. É um drama cheio de dores, mágoas e segredos que machucam, mas também é sobre esperança e novas chances.

8 comentários:

  1. Oieee.
    Sabe que pela sinopse eu achei bastante interessante mas com a sua resenha já fiquei naquela de ah, que saco, odeio quando os personagens se tornam chatinhos ou então a trama é muito infantil e aí perde toda a graça, né? Mas poderia ser uma grande história que daria vida tanto a personagem quando ao preso.

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
  2. Oi Cáh,
    Eu não conhecia o livro e realmente, o título é curioso.
    Você sabe como eu gosto de histórias que trabalhem o luto, a dor e o amadurecimento das protagonistas. Tenho certeza de que vou gostar muito do livro e mais uma vez, sua resenha colocou o livro na minha lista de desejados. Espero poder lê-lo em breve. Narrativa em primeira pessoa <3 AMO!

    Beijos,
    Mari Siqueira
    http://loveloversblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  3. Olá!

    Quase não li a resenha por causa do nome do livro, que é meio desestimulante (por falta de algo melhor para dizer).

    Sua resenha acabou me deixando com vontade, pasme, de ler o livro! Gosto quando há amadurecimento nos personagens ao longo da história, da gosto vê-los crescer.

    Além disso, trocar cartas com um prisioneiro é algo que nunca vi em nenhum livro, então ainda que eu não goste do livro, terei uma história de certo modo "inédita".

    Boa resenha!

    Abraços,

    Mariana Machado
    http://lentedeleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Oi Caline, eu já tinha visto esse livro em algum lugar, mas não tinha nenhuma curiosidade a respeito dele. Agora, ao ler sua resenha, fico bastante em dúvida. Porque o livro parece ter pontos bem desenvolvidos e bastante complexos, mas outros um tanto frustrantes. Não gosto quando os autores criam adolescentes mais adolescentes do que são realmente. A princípio, acho que não leria, mas nunca se sabe, né?

    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Oie, Cá,

    Este livro tinha me deixado bem curiosa, a premissa deixa um ar de mistério.
    Adorei ler sua resenha e saber mais sobre o livro. Em partes me desanimou para ler, e em partes me deixou ainda mais curiosa. Parece ser um livro de duas medidas... dá uma leve irritação e nem tem uma história tão boa, mas ao mesmo tempo desperta muitos sentimentos e tem algo de bom. Talvez, quando tiver oportunidade, eu leia.

    Ótima resenha.

    Beijos,
    Livy
    nomundodoslivros.com

    ResponderExcluir
  6. Oie Caline =)

    Confesso que a primeira vista esse livro não tinha me chamado muito a atenção. Porém, depois de ler a sua resenha, a primeira resenha que leio dele alias. Gostei da premissa, e a história realmente parece ser bem emocionante.

    Gostei da dica!

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary


    ResponderExcluir
  7. Oi Caline :)
    É a primeira resenha que leio do livro e, apesar de ter uma história interessante, eu não leria. Aparentemente faltam alguns pré-requisitos para prender a minha atenção e personagens que são chatos acabam por me fazer perder o interesse rapidinho (ou continuar a ler passando a maior raiva - rs). Não é o tipo de leitura que eu encararia por agora.
    Beijos
    Coisas de Meninas

    ResponderExcluir
  8. Oii gêmea! :p
    Esse vou deixar passar... Não me atraiu muito.
    Beijos!!

    ResponderExcluir

Participe do blog... Deixe seu comentário!!!
Sua opiniões, idéias, sugestões... são muito importantes para mim.
Um xero!
P.S: Comentários anônimos não serão aceitos!!!

 
Mundo de Papel © Tema base por So Kawaii. Tecnologia do Blogger.