A Culpa é das Estrelas - John Green

Título Original: The Fault in Our Stars
Data de Publicação: 2012
Número de Páginas: 288
Editora: Intríseca
Classificação:

A culpa é das estrelas narra o romance de dois adolescentes que se conhecem (e se apaixonam) em um Grupo de Apoio para Crianças com Câncer: Hazel, uma jovem de dezesseis anos que sobrevive graças a uma droga revolucionária que detém a metástase em seus pulmões, e Augustus Waters, de dezessete, ex-jogador de basquete que perdeu a perna para o osteosarcoma. Como Hazel, Gus é inteligente, tem ótimo senso de humor e gosta de brincar com os clichês do mundo do câncer - a principal arma dos dois para enfrentar a doença que lentamente drena a vida das pessoas.
Inspirador, corajoso, irreverente e brutal, A culpa é das estrelas é a obra mais ambiciosa e emocionante de John Green, sobre a alegria e a tragédia que é viver e amar. 

Quando decidi comprar A Culpa é das Estrelas ou ACEDE para os mais íntimos, o livro estava no auge. É claro que eu sou influenciada pela opinião das pessoas, dificilmente compro um livro sem ler várias resenhas antes e acho que isso acontece com a maioria dos leitores. Mas resolvi deixar ele na estante esperando o momento certo para ser lido, enquanto isso via leitores(as) enlouquecendo no Twitter, no Tumblr, no Facebook e nas várias resenhas publicadas nos blogs. Apesar do grande favoritismo, também li algumas resenhas bem negativas com relação a ele. No momento em que decidi que estava na hora de ler ACEDE, estava preparava para o que viesse, mas como sempre sou do contra estava mais preparada ainda para não gostar.

O.K.
Para começar acho importante deixar registrado que eu não chorei. Isso pode dizer algo sobre mim ou sobre o livro ou até mesmo sobre os dois. O fato é que fiquei esperando a grande emoção que não veio, mas isso não quer dizer que foi uma leitura ruim, apenas que apesar de muito bom não vi motivo para tanto alarde em torno dele.

A escrita de John Green é envolvente e bastante dinâmica. Achei bem diferente de Quem é você Alasca? o primeiro livro que eu li dele. O tema abordado em ACEDE não é algo inovador, existem livros e livros narrando os últimos dias de pacientes em estágio terminal. Acredito que o grande diferencial foi o fato do livro ter abordado a história de amor entre dois adolescentes que não tinham mais tanto tempo de vida, mas ainda assim não vejo motivo para tanto alarde em torno dele.

Encantei-me pelo Gus desde o primeiro momento. Ele se apaixonou e se entregou aos sentimentos, foi atrás sem se importar com que o futuro reservava para eles. Enquanto isso Hazel conseguiu despertar em mim total antipatia. O fato de estar quase morrendo poderia justificar suas atitudes, mas eu não consegui ver as coisas por essa ótica. Que fixação era aquela por causa do final de um livro? O Peter pode até ter sido um filho da mãe egoísta, mas uma coisa que ele disse foi exatamente o que eu pensei, era apenas um livro e fora das páginas os personagens não existiam, para que tanta loucura e tanto esforço para saber o que aconteceu até mesmo a um hamster?

Hazel era cheia de vontade e tão mimada. Não, a verdade é que ela era egoísta e pensava apenas em si. Ela estava sofrendo, mas as pessoas próximas a ela também, seus pais jamais se recuperariam de sua morte. Eu sei, eu sei, deveria ser mais compreensiva, mas não consegui e pronto. Era sempre o que ela queria e como ela queria e acho que mesmo antes da doença ela já era assim, por isso não consegui aceitá-la.

O final foi exatamente o que eu imaginei desde o início. Não foi nenhuma surpresa, estava lá o tempo todo, mas nem por isso foi menos triste ou menos tocante. Foi apenas nesse momento que eu senti que poderia chorar, imaginei que as emoções me dariam uma rasteira e não seguraria as lágrimas, mas não aconteceu.
Não tenho nenhuma crítica negativa ao livro, a não ser com relação a Hazel. O que me deixou bastante feliz é não ter me decepcionado como imaginei que aconteceria, tentei não criar grandes expectativas.

Enfim, A Culpa é das Estrelas é uma história linda e muito triste de amor em meio a dor e ao sofrimento, tendo a perda como um fantasma que nunca deixa de assombrar. É também um lembrete de que a vida precisa ser vivida agora, o amanhã é uma surpresa.

17 comentários:

  1. Gostei muito de sua resenha!

    Eu ainda não li A Culpa é das Estrelas, mas vejo muitas pessoas falarem do livro. Acredito que seja a obra mais "top" do momento, por isso que estou tão curiosa para lê-lo.
    Eu tenho algumas expectativas sobre, porém, acho melhor diminuir isso. Capaz eu possa me decepcionar, né? Algo que não quero, realmente.

    Já li O Teorema Katherine e gostei bastante da escrita do autor. Pretendo ler outros livros dele, principalmente ACEDE, como é chamado pelos mais íntimos, rsrs.

    Beijos.
    http://umajovemleitora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Gente, adorei o ACEDE, hihi. Li tem um tempinho já. Tenho o Teorema Katherine que estou lendo e ganhei de niver o Quem é você Alaska?. Estou gostando muito do John Green. <3
    Me visita? adoraria te ver por lá. =)
    www.nuvemliteraria.wordpress.com <3

    ResponderExcluir
  3. Oi, Caline!
    Eu chorei bastante no fim, imaginava que isso fosse acontecer, mas não com a pessoa em questão. hehe
    Fui sugada para a história e como coloquei na resenha lá do blog, me imagino como o personagem e me jogo na história, o que acaba me afetando bastante. A leitura é bem gostosa e foi bem positiva. Fico feliz que não tenha se decepcionado. ;)
    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ah, eu chorei. Muito! Muito mesmo! Mas acredito que foi porque fui ler sem ficar naquela expectativa, sabe? Toda vez que vou ler um livro com altas expectativas acabo me decepcionando. Ainda bem que com ACEDE não foi assim, consegui aproveitar demais a leitura. AMEIAMEI <3 Eu não imaginava aquele final, acredita? Esperava outro...

    Brunna Carolinne - My Favorite Book - @MFBook
    myfavoritebook-mfb.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  5. Nossa, TODO mundo está falando desse livro, né? Mas confesso que não fiquei com vontade de ler... Não gosto muito de livros que abordam este tema e prefiro finais felizes de histórias de amor. hahahaha Você já leu "Os Homens Que Não Amavam As Mulheres"? Estou lendo e amando!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tem resenha desse livro no blog. De longe um dos melhores do gênero que eu já tive a chance de ler.

      Excluir
  6. Eu ainda não li, mas tenho receio de não gostar exatamente por causa dessa propaganda do livro. Acho que a pior parte da leitura é quando me irrito com os personagens principais. O outro receio que eu tenho é o de achar a história sem graça por ter tido um big spoiler do final.
    Beijos,K.
    Girl Spoiled

    ResponderExcluir
  7. Oie Cá
    eu chorei, mas eu choro com qualquer coisa, desde me deixarem de fora de uma conversa, até se eu souber que alguém me deu unfollow, então isso não quer dizer muito,né rs
    Eu gostei bastante, mas nada supera o meu queridinho Quem é você, Alasca?
    bjos

    ResponderExcluir
  8. "Não foi nenhuma surpresa, estava lá o tempo todo". Você achou? O artifício que o John Green usou (a história de Uma Aflição Imperial) foi muito original. Deu possibilidade para, pelo menos, dois finais. Fiquei o livro todo sem saber o que iria acontecer. Quer dizer, sem saber com quem iria acontecer.

    Gostei muito da escrita do Green, mas depois de um tempo, na fase triste, o livro me cansou um pouco. Prefiro os romances mais felizes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Felipe, uma coisa muito legal que os romances policiais me ensinaram é desconfiar sempre do improvável. E foi exatamente isso que eu fiz.
      A história estava pendendo bastante pra um lado, ai eu fui para o seu oposto e acertei.

      Excluir
  9. Oi Caline,
    Faz poucos dias que li ACEDE, e apesar dele não ter se tornado favorito, eu gostei do livro. Diferente de você eu me surpreendi bastante com o final, mas mesmo assim eu conseguir aproveitar a leitura.

    *bye*

    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Caline, é bom ver uma opinião neutra a respeito desse livro de vez em quando. Nossa, o tanto que falam bem desse livro me assusta e me deixa com as expectativas lá em cima. É tenso, porque sempre me sinto culpada por não gostar de um livro que todo mundo gostou por causa dessas benditas expectativas.
    Eu ainda não ACEDE, mas está aqui, só esperando. Vamos ver...

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  11. Oie Caline =)

    ACEDE é uma dos livros mais lindos que li na minha vida! Confesso que fique um mês deprimida após terminar a leitura. Não preciso dizer que chorei horrores rs...

    Ótima resenha!

    Beijos;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary

    ResponderExcluir
  12. Gostei da sua resenha. Não foi emocional como algumas que li, nem criticando horrores como outras.
    Ainda não li, mas quero. Li Will & Will do JG e gostei muito.

    Beijos,
    Carissa
    www.carissavieira.com

    ResponderExcluir
  13. Oi Caline!

    Concordo plenamente com você! Não entendo o porquê de tanto alarde com esse livro. Apesar da temática, achei "leve". E eu também não consegui derramar nenhuma lágrima! Esperava que fosse muito mais profundo, devido a tanta comoção dos leitores...
    No entanto, me decepcionei bastante!
    Acho que esse livro é muito bom para o público adolescente... Agora, para os mais exigentes, é do tipo "Fala sério! É só isso?!". :/

    Beijosss!

    ResponderExcluir
  14. Também não chorei. E realmente não achei aquela coisa de OOOOH O MELHOR LIVRO DA MINHA VIDA SOCORRO! mas gostei. A escrita do John é bem diferente, e envolvente. É um livro legal. Mas acho que quando li, estava esperando mais.

    Além disso, esse livro ficou marcado por um péssimo episódio na minha vida: é o que eu estava lendo na época em que minha cachorrinha (que eu amava muuuito) morreu - uma das épocas mais negras dos últimos tempos, não só por esse, mas por outros motivos... portanto, é: o livro ficou meio estigmatizado pra mim. Duvido que eu vá reler. :/

    Bjs

    http://inescrita.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  15. Posso dizer que foi um dos melhores livros que já li.... não vou negar que chorei e isso nunca me aconteceu rsrsrss. Mas em um ponto você tem razão, a Hazel é menina mimadinha sim , pra quê tanta obsessão com o fim de um livro???

    ResponderExcluir

Participe do blog... Deixe seu comentário!!!
Sua opiniões, idéias, sugestões... são muito importantes para mim.
Um xero!
P.S: Comentários anônimos não serão aceitos!!!

 
Mundo de Papel © Tema base por So Kawaii. Tecnologia do Blogger.