Branca como Leite, Vermelha como Sangue - Alessandro D'Avenia

Título Original: Bianca come il latte, rossa come il sangue
Data de Publicação: 2011
Número de Páginas: 368
Editora: Bertrand Brasil
Classificação:
Leo é um garoto de dezesseis anos como tantos: adora o papo com os amigos, o futebol, as corridas de motoneta, e vive em perfeita simbiose com seu iPod. As horas passadas na escola são uma tortura, e os professores, imbecis.
Um romance sobre o ano mais intenso na vida de um jovem, em que ele aprende a lidar com os próprios sentimentos e, consequentemente, com seu amadurecimento.
Um traço interessante do livro é a técnica de utilizar cores para descrever os sentimentos e as sensações do menino Leo; por exemplo, o branco, sinônimo de solidão e silêncio.
Apesar de toda a rebeldia, ele tem um sonho que se chama Beatriz. E, quando descobre que ela está terrivelmente doente, Leo deverá escavar profundamente dentro de si, sangrar e renascer para a vida adulta que o espera.
Alguns livros conseguem cativar o leitor desde as primeiras páginas, outros começam de forma lenta e às vezes até mesmo maçante para depois se tornar algo incrível. No último caso o leitor precisa ter muita força de vontade e acreditar que a história vai mudar e surpreender. Branca como Leite, Vermelha como Sangue de Alessandro D'Avenia é um livro que não cativa desde o início e que demora um tempo para ganhar intensidade, mas quando os sentimentos escondidos em suas páginas chegam ao nosso coração é impossível largá-lo.

Branca como Leite, Vermelha como Sangue é pura poesia, doce e intoxicante, simples e altamente filosófico, uma história simples e inspiradora que impede que o leitor fique indiferente aos sentimentos contidos em suas linhas.

Leo, o protagonista, é também o narrador da história. O livro é quase um monólogo onde acompanhamos o crescimento de Leo, um garoto irresponsável e inconsequente que amadurece enquanto tenta entender a complexidade e a injustiça da vida e qual a importância de sonhar e acreditar nos sonhos. Diante do sofrimento, do medo e da dor, o relacionamento com sua família, com sua melhor amiga Silvia e até mesmo com seus professores evolui, refletindo uma mudança significativa em seu caráter.

O livro retrata vários problemas comuns na adolescência de forma séria e não como problemas menores que sumirão com o passar do tempo. O amor, a amizade, a vocação, os medos e a morte são tratados de forma simples, mas com imensa profundidade.

O livro é dividido em capítulos curtos o que torna a leitura bastante fluída. Em alguns momentos me senti lendo uma poesia devido a linguagem coloquial usada no livro, talvez isso explique a minha dificuldade em me envolver com a história, não estou acostumada com esse tipo de narrativa. Mas como já disse anteriormente assim que a intensidade das palavras me atingiu nada mais importou, eu só queria poder aprender junto com o Leo a viver e apreciar cada momento da vida.

O professor substituto a quem Leo chamava de Sonhador foi um personagem de grande importância para a história. Ele foi uma espécie de anjo da guarda na vida de Leo, sempre disposto a apoiá-lo e aconselhá-lo, ajudando-o a descobrir os seus sonhos e acreditar neles.

Branca como Leite, Vermelha como Sangue é uma história que marca pela intensidade e profundidade dos sentimentos contidos em suas páginas e que apesar da aparente simplicidade nos faz refletir sobre nossas atitudes perante a vida.

10 comentários:

  1. Ei Caline, já não é a primeira resenha que leio que fala sobre esse impacto das palavras que causa esse livro. Eu adoro a capa dele, assim que minha pilha diminuir, ele será uma das primeiras compras.

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Eu nunca me interessei por esse livro, não... mas acho que eu vou dar uma chance a ele agora - assim, quando a pilha de livros diminuir. :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  3. Parece ser um daqueles livros difíceis de vermos por aí. Quero muito ler!
    Gosto de livros intensos e ele ser pura poesia foi o que me chamou maia a atenção.

    ResponderExcluir
  4. Olá Caline
    Esse livro nunca me chamou atenção, até por causa da capa.
    Mas talvez eu leia ele, algum dia. rs
    A resenha ficou excelente!! Parabéns

    Lucas
    livrosecontos.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olá!
    Nunca tinha ouvido falar do livro! A história parece interessante, bem intensa...Não sou muito de ler livros com uma narrativa nesse estilo, mas talvez se algum dia eu tiver oportunidade...Pelo visto o livro é italiano, o que me deixa um pouco mais curiosa ;D
    Natália Maia - viciadasemlivros.wordpress.com

    ResponderExcluir
  6. Ei Caline,

    como sempre gostei da resenha. Adoro a capa desse livro e pretendo ler ainda. Parece ser um livro muito bom e prende bastante a atenção do leitor. ^^)

    beijos.

    ResponderExcluir
  7. Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas fiquei muito interessada! Ah, e essa capa? Linda!
    Estou começando a enjoar dos mesmos livros que o pessoal fala =/
    Mas será que devo me preocupar se ficarei triste com a história? Algo me diz que sim heheh. Já vai para minha listinha de "quero ler" :p

    ResponderExcluir
  8. Não conhecia o livro, bem interessante ele ser tocante intenso, anotado como livro que quero ler ><

    Beijos
    Meu outro lado

    ResponderExcluir
  9. Nossa que diferente, quando se lê o titulo pensa-se uma coisa da história, quando se vê a capa pensa-se outra coisa e quando se vê a sinopse, vem outra coisa na mente ahahu, que mistura e quando lemos uma resenha a respeito, chegamos a conclusão que e nenhum dos pensamentos acertamos a historia hauhau... Lerei somente pq gostei do titulo! =D

    ResponderExcluir
  10. O que me prendeu foi a narrativa. Não estou acostumada com isso e provavelmente esse seria um grande empecilho na hora de ler. :( Mas fora isso, eu gostei muito da proposta do enredo, dessa de transmitir uma mensagem e ser extremamente filosófico. Gosto disso.

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir

Participe do blog... Deixe seu comentário!!!
Sua opiniões, idéias, sugestões... são muito importantes para mim.
Um xero!
P.S: Comentários anônimos não serão aceitos!!!

 
Mundo de Papel © Tema base por So Kawaii. Tecnologia do Blogger.