Uma Curva no Tempo - Dani Atkins

Título Original: Fractured
Data de Publicação: 2015 
Número de Páginas: 256 
Editora: Arqueiro
Classificação: 

Uma Curva no Tempo - A noite do acidente mudou tudo... Agora, cinco anos depois, a vida de Rachel está desmoronando. Ela mora sozinha em Londres, num apartamento minúsculo, tem um emprego sem nenhuma perspectiva e vive culpada pela morte de seu melhor amigo. Ela daria tudo para voltar no tempo. Mas a vida não funciona assim... Ou funciona?
A noite do acidente foi uma grande sorte... Agora, cinco anos depois, a vida de Rachel é perfeita. Ela tem um noivo maravilhoso, pai e amigos adoráveis e a carreira com que sempre sonhou. Mas por que será que ela não consegue afastar as lembranças de uma vida muito diferente?

Um Curva no Tempo é queridinho entre vários leitores. É só vocês conferirem as resenhas pela blogosfera ou a nota dele no Skoob e Goodreads que vão entender o que estou dizendo. As pessoas ficaram realmente encantadas e apaixonadas pela história. Por isso não quis escrever essa resenha assim que terminei a leitura, preferi me dar um tempo e pensar um pouco mais no que eu li e em como eu me senti durante toda a leitura.

O livro foi muito bem recomendado por algumas amigas blogueiras, então as minhas expectativas estavam realmente altas quando comecei. Inicialmente foi um pouco frustrante para mim encontrar uma história cheia de incógnitas e quase nenhuma resposta. Esse é um dos pontos altos do livro, a capacidade que a autora teve de conseguir guiar os acontecimentos soltando algumas pistas ao longo do caminho, mas eu sou curiosa por natureza e fiquei enlouquecida por não conseguir entender o que estava acontecendo. Entendam que esse não é um ponto negativo, mas se você decidir ler Uma Curva no tempo prepare-se para sofrer bastante até que as coisas comecem a fazer sentido ou se você for mais inteligente do que eu fui vai conseguir pegar as coisas no ar rapidinho.

Muitas teorias surgiram na minha mente para tentar explicar por que Rachel estava vivendo duas histórias tão diferentes e lembrar de apenas uma delas, mas a resposta certa só apareceu para mim perto do final depois que ela começou a ver coisas que ninguém via e sentir cheiros que ninguém sentia. Ainda assim minha teoria não parecia ter muita concretude até que veio o desfecho. Desde o começo, assim que vi a capa desse livro, tive a sensação que a história se parecia com Como Eu Era Antes de Você. No fim das contas vi que os dois são totalmente diferentes, ao mesmo tempo em que são dolorosamente parecidos e eu falo isso me referido especificamente ao final.

O final de Uma Curva no Tempo assim como aconteceu em Como Eu Era Antes de Você foi perfeito para a história o que não quer dizer que tenha sido um final que deixará o leitor feliz. Dependendo da sua sensibilidade você irá chorar e pensar o quão lindo e maravilhosamente doloroso ele foi.

Entretanto gostar do final não quer dizer que eu gostei do livro como um todo. O maior ponto negativo, aquele que me fez querer largar o livro por várias vezes foi a narrativa da autora. Gosto de história com diálogos, se eles forem poucos que ao menos sejam interessantes ou importantes para o contexto. Detesto aquelas narrativas que se perdem em situações que não influenciarão em nada, onde a autora fica dando voltas e voltas para não chegar a lugar nenhum. Isso aconteceu muitas vezes. Foram muitos momentos, muitas páginas na verdade, que não fizeram diferença nenhuma e por isso o livro perdeu pontos comigo.

Quanto à Rachel ela foi o outro ponto negativo do livro e isso é bem complicado quando estamos falando da protagonista. Como falei antes ela estava vivendo duas história diferentes: uma muito ruim e outra muito boa. Resumindo, a vida dela estava um caos, uma pessoa importante para ela havia morrido e seu pai estava muito doente. Um certo dia ela desmaia, acorda no hospital e sua vida está perfeita, a pessoa importante está viva e seu pai está vendendo saúde. O que ela faz? Fica completamente revoltada com sua nova realidade e tenta provar para todo mundo que nada é verdade. Tudo bem, eu até entendo a pessoa tentar compreender o que estava acontecendo, mas depois de um tempo sua busca pela "verdade" torna-se chata e meio burra. Se tudo parece se encaixar tão bem porque não aceitar que a vida ruim eram apenas um sonho?

Em resumo, durante toda a leitura tive a sensação que a história iria enfim engrenar e me conquistar para valer. O plot era realmente interessante e o romance prometia. Mas sempre que eu sentia que as coisas poderiam ir a algum lugar, tudo saia dos eixos novamente. Uma Curva no Tempo é um livro que poderia ter sido muito mais, poderia ter se tornado inesquecível e entrado na minha lista de favoritos, mas não chegou lá. Eu não diria para você não lerem, mas não tenham tantas expectativas e talvez assim gostem muito mais da história do que eu.

0 comentários:

Postar um comentário

Participe do blog... Deixe seu comentário!!!
Sua opiniões, idéias, sugestões... são muito importantes para mim.
Um xero!
P.S: Comentários anônimos não serão aceitos!!!

 
Mundo de Papel © Tema base por So Kawaii. Tecnologia do Blogger.