Sessão Pipoca - Precisamos Falar Sobre Kevin (2011)



A capa do livro Precisamos Falar Sobre Kevin sempre me chamou atenção. Lembro de ter lido algumas críticas sobre ele que elogiavam o trabalho da autora ao escrever um drama tão real, marcante e que conseguia mexer bastante com o leitor. Mesmo muito curiosa com relação a história nunca li o livro, mas essa semana tive a chance de matar um pouco da minha curiosidade assistindo ao filme.

Para começar fico feliz por nunca ter lido esse livro. Não me entendam mal, a história é muito boa e apesar de ter um ritmo um pouco lento e ir se desenvolvendo aos poucos, é impossível tirar os olhos da tela. O problema é que a história retratada no filme é tão chocante, tão angustiante, que o livro sendo certamente mais completo do que o filme, me deixaria emocionalmente muito mal, pior do que eu já fiquei.


A história é contada a partir de flashbacks. O filme já começa com uma cena da tradicional guerra de tomates na Espanha. Um vermelho intenso inunda tela e a cor reaparece inúmeras vezes em diferentes situações no decorrer da história. É como um aviso de que algo grande e terrível está para acontecer. 

Logo depois conhecemos Eva, mãe de Kevin. Inicialmente o que vemos é uma mulher abatida, depressiva, que mora sozinha e carrega no olhar uma tristeza profunda e uma total falta de esperança na vida.  Nos minutos seguintes descobrimos que Eva era uma mulher feliz, bem-sucedida e independente. O que poderia ter acontecido e porque Eva parece carregar um peso enorme sobre os ombros?

Kevin é a resposta.

Eva conheceu Franklin e estava feliz no seu casamento, até descobrir que estava grávida. Fica claro que ser mãe não era um desejo seu, apenas do seu marido. Ela não tem o menor jeito para cuidar do filho, na verdade o que faltou a meu ver, foi amor mesmo. Kevin é uma lembrança constante da vida livre que ela tinha e que precisou abrir mão por causa da maternidade.


Acompanhando o crescimento de Kevin, que se mostrava cada dia mais agressivo e cruel, me perguntei várias vezes se ele já havia nascido com aquela maldade no coração ou se a sua família que aparentemente era só mais uma família normal, teve influência sobre suas atitudes. Será que a falta de carinho e atenção por parte da mãe e a falta de limites por parte do pai foram suficientes para justificar um filho tão sarcástico e agressivo? Ou será que ele já chegou ao mundo cheio de ódio e destrutividade? Não consegui encontrar um resposta exata para as atitudes de Kevin, são tanto fatores, tantas situações, que é difícil, se não impossível encontrar apenas um culpado, não dá para enxergar claramente aquele momento que deu início a tudo até culminar em algo tão catastrófico e assustador no final.


O final é chocante e apesar de já imaginar o que estava para acontecer, Kevin me surpreendeu da pior forma possível. Entendemos então o porquê de tanto sofrimento no olhar de Eva, porque ela vive sozinha e é atacada por pessoas na rua, mas a pergunta que fica é porque Kevin fez o que fez. Esse é o grande questionamento que ficou em mim quando o filme terminou, entretanto não existe uma resposta certa para ele.


Se analisarmos bem cada cena, cada momento desde a gestação até a convivência de Kevin com os pais, fica a certeza de que se eles tivessem falado SOBRE Kevin ou tivessem falado COM Kevin, algo nessa história poderia ter sido diferente.


Título: Precisamos Falar Sobre Kevin
Título Original: We Need to Talk About Kevin
Origem: Estados Unidos da América, Reino Unido da Grã-Bretanha e Irlanda do Norte
Ano de produção: 2011
Gênero: Drama/Thriller
Duração: 112 min
Direção: Lynne Ramsay
Classificação: 

14 comentários:

  1. Oi Caline!
    Assisti esse filme há alguns meses, e também fiquei bastante chocada. Ao contrário de você, senti vontade de ler o livro, mas se ele também for no esquema de flashbacks acho que acabaria me perdendo um pouco.

    Quanto ao Kevin, é realmente dificil saber se ele já nasceu assim ou se as circunstancias o tornaram daquela forma, mas essa é uma discussão muito extensa mesmo, que dezenas de filósofos e sociólogos se dedicaram a resolver, e nunca conseguiram.

    Beijos!
    http://poesiadestilada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Gente, sabe que primeiro eu queria ler o livro e quando soube que saiu o filme, fiquei louca, mas ainda não vi. Agora que vi este seu post e li, fiquei boba! Adoreiiiiiiiiiiii! Você me deixou com muita vontade de ler. Sei que Kevin é um psicopata e o quanto a mãe dele sofre com isso. Vou tentar locar ele no final de semana. Parabéns pela narrativa, está excelente!

    Beijos

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.amigasemulheres.com

    ResponderExcluir
  3. Com toda certeza eu não assistiria, nem leria.
    Não curto drama, não é muito minha praia.
    Sua resenha ficou ótima. :)
    Resenha #142 - Perto de Você - Os Sullivans - Livro 07 - Bella Andre.
    Confere lá!
    http://manuscritodecabeceira.blogspot.com.br
    Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Oi Caline,
    Eu sou louca pra ler o livro!
    Acho que apesar da grande carga emocional que ele traz, deve ser uma experiência unica e difícil.
    O filme parece incrível e muitas pessoas disseram que é bem fiel a história. Ainda assim, pretendo ler antes de assistir.

    Beijos,
    Ká Andrade
    http://teens-books.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Oi Caline, achei ótimos seus comentários sobre o filme. Nunca tive coragem de ler o livro e assistir ao filme pelos mesmos motivos que você comentou. Tenho curiosidade, mas não sei até que ponto serei afetada pela história, então tenho que esperar um momento mais light da minha rotina, se quiser tentar mesmo. rsrs
    Gosto de filmes intensos, mas geralmente eles mexem muito comigo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Oii!!!
    Quero muito ler o livro e assistir o filme, espero fazer isso logo!
    Beijos

    Elidiane
    Leitura Entre Amigas

    ResponderExcluir
  7. Olá, Caline.
    Vi este filme á um tempo atrás. Gostei, realmente as cenas são bem perturbantes.
    Eu pretendo ler o livro, mesmo sabendo que vai ser uma leitura bem tensa, mas achei bacana o assunto abordado. E penso que com o livro posso sentir a história mais completa.
    Até mais. http://contodeumlivro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Gostei de como você finalizou a resenha. Uma ótima reflexão!
    Ainda não li esse filme, apesar de ter baixado umas vinte vezes. Adoro histórias que mexam com o psicológico de quem assiste, e a história de Kevin é dessas.
    Amo o elenco que escolheram para protagonizar essa história! São perfeitos!
    Vou criar coragem de assistir só por conta da sua reflexão final! aahauhua

    bjus
    terradecarol.blogspot.com

    ResponderExcluir
  9. Parece ser o tipo de história que costumo gostar (: Tenho muita curiosidade sobre esse filme, na verdade sobre o livro também. Bom, não conheço nenhum dos dois, mas primeiro pretendo ler e depois assistir. Fiquei curiosa sobre o que acontece no final HAHA
    Abraços

    Brunna Carolinne - My Favorite Book - @MFBook
    myfavoritebook-mfb.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  10. Caline! Eu preciso assistir esse filme.
    Acho que, por tudo que já li sobre o filme (e até mesmo do livro por aí), eu me afastei dele, porque todo mundo dizia que era pesado demais e agora eu estou num momento que preciso de coisas leves. Mas quem sabe agora não é o momento?

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  11. Oie Caline
    o livro realmente é pesado. Agora imagine uma mãe lendo?
    Nossa, eu fiquei destruída. Não consegui nem terminar de ler porque as lágrimas já molhavam as páginas inteiras, e tive que sair do quarto aos prantos pra dar um abraço no meu filho, e prometer que jamais negligenciaria nada do que ele fizesse.
    Depois quando voltei a leitura, mais lágrimas interromperam a todo momento o final. Lionel arrasa. Minha diva.
    Ainda não assisti ao filme, mas vi a cena do final e chorei demais. O filme é bem diferente do livro, e por esse motivo acho que vale a pena a leitura, viu. Mesmo que te impressione.
    É uma obra sem igual.
    Bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  12. Vou dizer a verdade, o filme não me chama muito atenção. Acho que eu deveria dar uma chance ao livro para entender a história melhor antes de ver o filme. Parece ser um pouco pesado e que temos que estar emocionalmente preparadas. Mas quem sabe uma hora dessas né?

    http://alguns-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Eu tenho medo do que vou encontrar, tanto no livro quanto no filme. As coisas mexem muito comigo e sei que esse não é um filme com final feliz. Apesar de curiosa, fico receosa. Mas tentarei ver assim que surgir a oportunidade.
    :*

    ResponderExcluir
  14. Calineee! Sim, o livro é bem o que você falou! Se você achou o filme chocante, o livro irá deixá-la sem ar!
    O livro faz parte dos meus favoritos! É tenso, angustiante, envolve a nossa psique por completo. É uma grande obra!!
    E o filme também foi uma ótima adaptação. :D Mas, claro, o livro é melhor ainda!
    Beijos!!

    ResponderExcluir

Participe do blog... Deixe seu comentário!!!
Sua opiniões, idéias, sugestões... são muito importantes para mim.
Um xero!
P.S: Comentários anônimos não serão aceitos!!!

 
Mundo de Papel © Tema base por So Kawaii. Tecnologia do Blogger.