Seis Coisas Impossíveis - Fiona Wood

Título Original: Six Impossible Things
Data de Publicação: 2013
Número de Páginas: 272
Editora: Novo Conceito  
Classificação:  
 Livro cedido em parceria com a Novo Conceito

Dan Cereill levou um encontrão da vida: seu pai faliu, assumiu que é gay e separou-se de sua mãe, tudo de uma vez só. Enquanto isso, sua mãe recebeu de herança uma casa tombada pelo patrimônio histórico que cheira a xixi de cachorro, mas que não pode ser reformada... E, agora, Dan está vivendo em uma casa-relíquia que parece um chiqueiro, com uma mãe supertriste e sem conseguir falar com o pai — que ele ama muito. Suas únicas distrações são sua vizinha perfeita, Estelle, e uma lista de coisas impossíveis de fazer, como: 1. Beijar a garota. 2. Arrumar um emprego. 3. Dar uma animada na mãe. 4. Tentar não ser um nerd completo. 5. Falar com o pai quando ele liga. 6. Descobrir como ser bom e não sair abandonando os outros por aí... Mas impossível mesmo será: 1. Não torcer para que Dan supere seus problemas. 2. Não rir muito com os devaneios dele. 3. Não querer ter um cachorrinho como Howard. 4. Não desejar que a mãe de Dan encontre a felicidade. 5. Parar de ler este livro. 6. Não querer abraçar o livro depois de tê-lo terminado...

Se eu tivesse que escolher uma palavra para definir Seis Coisas Impossíveis, seria fofinho. Há muito tempo não lia um livro infanto-juvenil, acredito que o último tenha sido O Último Olimpiano. Não sei porque me mantive tanto tempo distante de livros desse gênero. São histórias divertidas, com personagens carismáticos, um ritmo envolvente e que dificilmente não agrada ao leitor.

Mergulhei totalmente na leitura. A escrita de Fiona Wood é envolvente e deliciosa. Não existe nada de grandioso na história, nenhuma surpresa, nenhum momento marcante, mas em sua simplicidade o livro conseguiu me cativar quase que de imediato. Simpatizei com todos os personagens e seus dramas e torci para que eles conseguissem superar as dificuldades e serem felizes.

Dan é um garoto incrível. Mesmo com tantas mudanças em sua vida e todas muito ruins, diga-se de passagem, ele não ficou se lamuriando, nem se deixou abater. Ele sabia que não adiantava nada reclamar, sua vida não melhoraria com resmungos e sua mãe não precisava de mais problemas. Senti pena dele, porque sua mãe estava sempre tão ocupada tentando se reerguer e sentindo pena de si mesma, que esqueceu que o filho também precisava de atenção. Para um garoto de 14 anos ele foi incrivelmente maduro. É claro que cometeu deslizes e loucuras, mas ele se sentia sozinho e deslocado, dá para entender e perdoar suas tentativas de recomeçar deixando para trás o garoto loser/nerd que sempre foi.

Julie, a mãe de Dan foi o tipo de pessoa que despertou pena e um pouco de raiva também. Ela teve suas perdas e estava tentando se recuperar, mas não se ajudava. Ouvia Radiohead sem parar enquanto conversava  com o Tom Yorke (vocalista da banda) e se achando muito experiente no quesito relacionamento se sentia no direito de agir como conselheira sentimental e fazia com que todas as clientes que vinham encomendar os seus bolos de casamento acabassem desistindo do matrimônio, ou seja, ela precisava do dinheiro para viver, mas se deixava levar por sua recente desilusão amorosa e como resultado ficava sem dinheiro e ainda estragava o relacionamento alheio.

Um dos grandes dramas da vida de Dan e na verdade a grande causa de todos os problemas da família, foi o pai dele ter falido, ter se revelado gay e largado a família. Dan não conseguia perdoar o pai por sua vida ter virado de pernas para o ar. Achei que esse desentendimento familiar seria melhor explorado, mas chegamos ao final da história sem um desfecho sobre isso. Teria sido interessante um diálogo entre os dois, uma reconciliação, um recomeço. Mas Dan fugiu das ligações do pai o livro inteiro e no final, temos um bilhete, um Ipod e a especulação de que em algum momento eles vão acabar se entendendo.

Poderia ter amado totalmente o livro, mas amei apenas uma parte dele, a maior parte, diga-se de passagem. Isso tudo porque o final foi decepcionante. Depois de uma leitura tão prazerosa e envolvente, esperava um final mais legal. Muita coisa ficou em aberto, inclusive quando terminei a última página do livro, virei achando que havia mais do outro lado. O livro foi escrito num ritmo envolvente, sem pressa, mas no final a autora resolveu apressar e resolver todos os problemas de uma só vez. Ficou tudo muito solto, meio jogado.

Seis Coisas Impossíveis é um livro doce, espirituoso e engraçado, sobre as dúvidas, os medos e as descobertas da adolescência. O primeiro amor, o primeiro beijo, a escola nova, temas facilmente identificáveis pela maioria dos adolescentes. Um história muito fofa e que vale muito a pena ler. Espero que mais livros da autora sejam lançados por aqui.

8 comentários:

  1. Eu acho que este livro deve ter uma história bem leve e gostosa, e pretendo ler esta semana, apesar de ter ficado com receio deste final que você citou. Bjos!!
    Cida
    Moonlight Books

    ResponderExcluir
  2. Estou curioso em relação á este livro, essa capa é bem bonitinha! Ele me parece ser um livro ara refletir, fico feliz que tenha gostado! Espero que gostar tbm!
    Beijocas!
    Jesus te ama <3
    http://hey-mygod.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oie Caline =)

    Estou lendo resenhas bem positivas desse livro, mas infelizmente ele não me chamou muito atenção. Parece ser um livro com uma narrativa bem leve do tipo "Sessão da Tarde", porém se o final é decepcionante prefiro evitar esse tipo de chateação literária rs...

    Beijos e um ótimo final de semana;***

    Ane Reis.
    mydearlibrary | Livros, divagações e outras histórias...
    @mydearlibrary


    ResponderExcluir
  4. Oiee, tudo bem?

    Tenho visto muitas blogueiras falando sobre esse livro, mas não tenho muita curiosidade pela leitura dele não =(

    beijos
    Kel
    www.porumaboaleitura.com.br

    ResponderExcluir
  5. Eu não sabia que era um infanto-juvenil, pensei que se tratasse de auto-ajuda.
    É triste quando o final nos decepciona, já passei por isso e sei bem como é.
    Sinceramente a premissa desse livro não me chamou a atenção, não é uma leitura que faria no momento.

    Até mais.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  6. A sinopse do livro não chamou minha atenção. Que chato que no final as informações ficaram soltas, e deixaram meio em aberto, não gosto quando isso acontece, mas pelo jeito a narrativa da autora é contagiante.
    Beijos
    All My Life in Books

    ResponderExcluir
  7. Oie Caline
    eu amo livros nesse estilo, sempre tem um enredo leve e divertido, mas que no fim acaba passando uma mensagem muito legal.
    Já estou com ele aqui na meta de dezembro.
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  8. Oi flor, tudo bem? Não conhecia o livro! Confesso que não me chamou muito atenção, mas gostei quando você disse que é um livro doce :)

    Beijos,
    Gabriela -

    ResponderExcluir

Participe do blog... Deixe seu comentário!!!
Sua opiniões, idéias, sugestões... são muito importantes para mim.
Um xero!
P.S: Comentários anônimos não serão aceitos!!!

 
Mundo de Papel © Tema base por So Kawaii. Tecnologia do Blogger.