Todos os Nosso Ontens - Cristin Terrill

Título Original:  All Our Yesterdays
Autor (a): Cristin Terrill
Data de Publicação: 2015
Número de Páginas: 352
Editora: Novo Conceito
Classificação: + 0,5
Livro cedido em parceria com a Novo Conceito

O que um governo poderia fazer se pudesse viajar no tempo?
Quem ele poderia destruir antes mesmo que houvesse alguém que se rebelasse?
Quais alianças poderiam ser quebradas antes mesmo de acontecerem?
Em um futuro não tão distante, a vida como a conhecemos se foi, juntamente com nossa liberdade. Bombas estão sendo lançadas por agências administradas pelo governo para que a nação perceba quão fraca é. As pessoas não podem viajar, não podem nem mesmo atravessar a rua sem serem questionadas. O que causou isso? Algo que nunca deveria ter sido tratado com irresponsabilidade: o tempo. O tempo não é linear, nem algo que continua a funcionar. Ele tem leis, e se você quebrá-las, ele apagará você; o tempo em que estava continuará a seguir em frente, como se você nunca tivesse existido e tudo vai acontecer de novo, a menos que você interfira e tente mudá-lo...
 
O tema viagem no tempo ao mesmo tempo que atrai a minha curiosidade é um desafio para minha imaginação e para a parte lógica do meu cérebro. A Mulher do Viajante do Tempo foi meu primeiro livro sobre o tema e apesar de ter amado a história contestei e não aceitei a maior parte das explicações da autora sobre Henry conseguir viajar para frente e para trás no tempo, a verdade é que minha cabeça deu um nó várias vezes. Depois dessa experiência mantive-me longe de livros que abordassem esse assunto até que Todos os Nossos Ontens chegou para mim.

Confesso que quando escolhi o livro na Página de Vantagens da NC não li a sinopse, minha escolha foi baseada nas opiniões e notas do Goodreads, afinal um livro com mais de 4 estrelas deve ter algo muito bom a me contar.

O primeiro ponto super positivo sobre o livro e que eu sinto que preciso frisar é o fato dele não ser parte de uma trilogia/série, tudo se resume a apenas ele. Isso significa que a história não teve enrolações - o que eu colocaria como segundo ponto positivo - e que os personagens tiveram um final redondinho. Nada de questionamentos, nada de suposições, nada de desespero e ansiedade até que a editora lançasse o segundo livro.

Todos os Nosso Ontens é um livro que apesar de não conseguir me convencer com sua teoria sobre viagem no tempo - e olha que a autora foi bastante cuidadosa e convincente na tentativa de explicar o fenômeno - prendeu totalmente minha atenção e fez com que eu não quisesse largá-lo até saber o que aconteceria com Em, Marina, James e Finn. O livro é também uma distopia e mais uma vez vemos o mundo destruído pela ganância e pela luta pelo poder.

Poderia ter gostado muito de Marina, poderia ter gostado ainda mais de Em, mas algumas atitudes das duas tiraram-me do sério mesmo entendendo um pouco o sentimento de cada uma com relação à James. A missão de Em era realmente difícil, mas ela já tinha falhado 14 vezes e enquanto o tempo passava e as coisas ficavam cada vez mais complicadas víamos ela pronta para falhar novamente por causa dos seus sentimentos confusos.

Finn é aquele tipo de personagem que no início da história você já sabe que vai amar mesmo se ele fizer algumas coisas que você não goste, o que não foi o caso aqui. Ele foi amigo, companheiro e fiel até o final, defendendo Em de tudo e de todos que pudessem machucá-la.

James despertou em mim sentimentos contraditórios. O garoto doce e inteligente tornou-se alguém quase irreconhecível. Ele sofreu muito, se decepcionou muito, mas suas ações foram quase impossíveis de serem justificadas. Fiz algumas apostas sobre o destino do personagem e confesso que errei todas. Foi triste, foi dramático, mas depois de tudo o que aconteceu entendemos que não tinha como ser diferente.

No geral, fiquei satisfeita com Todos os Nosso Ontens, apesar de alguns pontos fracos que já foram citados na resenha. Cristin Terrill se saiu muito bem em seu romance de estreia e certamente irei ler outros livros seus. Os personagens saltam em nós e é impossível não se conectar com eles, sua dores, seus medos e suas dúvidas. O enredo é envolvente e o ritmo do livro faz com que o leitor não queira largar até virar a última página. Encorajo os leitores com interesse em romances distópicos, YA romances, viagem no tempo ou apenas à procura de um livro interessante e bem estruturado para e jogar nessa leitura.

0 comentários:

Postar um comentário

Participe do blog... Deixe seu comentário!!!
Sua opiniões, idéias, sugestões... são muito importantes para mim.
Um xero!
P.S: Comentários anônimos não serão aceitos!!!

 
Mundo de Papel © Tema base por So Kawaii. Tecnologia do Blogger.