Para Todos os Garotos que Amei - Jenny Han (To All the Boys I've Loved Before #1)

Título Original: To All the Boys I've Loved Before
Autor (a): Jenny Han
Data de Publicação: 2015
Número de Páginas:
320
Editora: Intríseca
Série: To All the Boys I've Loved Before #1
Classificação: 

Lara Jean guarda suas cartas de amor em uma caixa azul-petróleo que ganhou da mãe. Não são cartas que ela recebeu de alguém, mas que ela mesma escreveu. Uma para cada garoto que amou — cinco ao todo. São cartas sinceras, sem joguinhos nem fingimentos, repletas de coisas que Lara Jean não diria a ninguém, confissões de seus sentimentos mais profundos.
Até que um dia essas cartas secretas são misteriosamente enviadas aos destinatários, e de uma hora para outra a vida amorosa de Lara Jean sai do papel e se transforma em algo que ela não pode mais controlar.

Preciso começar essa resenha com um pedido a Intríseca: Por favor, publiquem logo P.S. I Still Love You, porque a Jenny Han foi uma garota muito, muito má com os leitores de Para Todos os Garotos que Amei e terminou o livro num momento crucial. Tendo dito isso vamos ao que interessa de verdade, o que achei desse livro que tantas pessoas haviam classificado como fofo e que tem notas ótimas tanto no Skoob quanto no Goodreads.

Conheço o trabalho da Jenny Han por causa da série Burn for Burn onde ela divide a escrita dos livros com a Siobhan Vivian. Antes de ler essa série já havia lido livros solos da Siobhan e não gostado de nenhum, então quando Olho por Olho e Dente por Dente caíram nas minhas graças soube de cara que a responsável por isso era a Jenny. Quando algumas pessoas que conheço e em cuja opinião confio começaram a elogiar a história não tive mais dúvidas que precisava lê-la.

Para Todos os Garotos que Amei é um YA com um pouquinho de drama e um romance muito fofo, super delicinha de ler. Ultimamente minhas leituras quase não tem rendido e eu consegui terminá-lo em poucos dias tamanha era minha empolgação e curiosidade para saber o rumo que a vida de Lara Jean iria tomar.

Confesso que no início não simpatizei muito com a protagonista. Ela tinha uma queda pelo ex-namorado da irmã mais velha, Margot, e isso não é algo que eu ache a coisa mais certa do mundo. Nada de julgamentos, mas o ex da irmã? Isso é território proibido, gente! Mas, enfim, tirando esse fator Lara Jean foi aos poucos conquistando a minha simpatia e eu realmente torci para que que ela conseguisse encontrar alguém para amar e que a amasse também. Além disso, gostei de vê-la amadurecendo, mesmo que tenha sido muito pouco, saindo da barra da saia de Margot e fazendo o que ela queria e não o que a irmã achava que elea deveria fazer.

Por falar em Margot antipatizei demais com essa garota. Eu até entendo que a forma como ela agia em alguns momentos era reflexo da responsabilidade de ter que assumir a criação das irmãs e a organização da casa depois da morte da mãe, mas ela era metida a certinha e perfeitinha, além de ser absurdamente controladora. mesmo depois de ter saído de casa para fazer faculdade em outro país ela queria que as coisas continuassem exatamente como ela havia deixado, todo mundo seguindo as regras que ela estabeleceu e no ritmo dela. Então, apesar de ter discordado absurdamente da paixão de Lara Jean pelo ex de Margot, senti uma pontinha de felicidade quando a história veio à tona. Foi uma sacudida para que ela percebesse que não tinha o controle sobre todas as coisas.

Kitty, a irmã mais nova de Lara Jean, também me tirou do sério. Garotinha difícil, birrenta e cheia de vontades.

Josh, o ex de Margot, era fofinho e tal, mas foi quando Peter Kavinsky apareceu que eu realmente me empolguei com a história e comecei a torcer para que um romance acontecesse. Eles se envolveram com o intuito de forjar um namoro falso, mas a cada dia foram ficando mais próximos, e mais próximos, e... Eles discutiam, se desentendiam, mas quando estavam juntos numa boa eram fofos demais, de fazer o leitor suspirar.

O final, como falei acima, foi abrupto e me deixou desesperada pela continuação, principalmente porque a Lara Jean agiu feito uma criança imatura e fez alguns estragos, espero que não sejam irreversíveis. Preciso desesperadamente saber o que acontece, com quem a Lara Jean vai ficar e como as coisas vão se desenrolar.

Para Todos os Garotos que Amei é uma história de amor, mas é também uma história sobre família, seus dramas, desentendimentos e reconciliações. Cada personagem tinha uma personalidade única, que trouxe vida para as páginas, também a escrita era simples, mas cativante. Se você estiver procurando uma leitura leve, romântica, sem grandes surpresas e que te deixe com um sorriso no rosto, leiam esse livros sem medo.

3 comentários:

  1. Estou lendo esse livro. Quase terminado já.
    Também acho que a Lara Jean amadureceu pouco e as cartas não tiveram destaque.

    Mas, de qualquer forma, estou gostando. É divertido e não consigo parar de ler.

    Bjs ;)

    http://literaturaecine.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ahh, nada como livros fofinhos que nos fazem suspirar! Tô precisando de um desses! Vou tentar lê-lo, com certeza :D

    Clara
    @clarabsantos
    clarabeatrizsantos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Adorei a resenha! Fiquei muito interessada para ler. Só não entendi o final "sem grandes surpresas", como assim? Pelo que li ai na resenha tem muitas surpresas... Mesmo assim, adorei.

    Anna Clara,
    www.jeitodeumaadolescente.blogspot.com

    ResponderExcluir

Participe do blog... Deixe seu comentário!!!
Sua opiniões, idéias, sugestões... são muito importantes para mim.
Um xero!
P.S: Comentários anônimos não serão aceitos!!!

 
Mundo de Papel © Tema base por So Kawaii. Tecnologia do Blogger.