Twittando o Amor - Teresa Medeiros

Título Original: Goodnight Tweetheart
Autor (a): Teresa Medeiros 
Data de Publicação: 2014
Número de Páginas: 202
Editora: Novo Conceito
Classificação:  + 0,5
Livro cedido em parceria com a Novo Conceito 
 

O Twitter é uma festa que nunca termina onde todo mundo fala ao mesmo tempo e ninguém diz nada...
Abigail Donovan é uma escritora de sucesso. Ela quase ganhou o prêmio Pulitzer e até foi elogiada no programa da Oprah. Então, por que ela passa os dias e noites escondida no chiquérrimo condomínio onde mora, na companhia de seus dois gatos, sem conseguir escrever?
Quando o seu editor a obriga a entrar no mundo das redes sociais para expandir seus horizontes, Abby imagina que vai ser obrigada a conversar com adolescentes que teclam escondido do porão de casa. Mas ela acaba conhecendo Mark Baynard, um professor britânico sexy, bem-humorado e inteligente que está viajando pelo mundo em busca de aventura. Abby tenta resistir ao seu charme, enquanto Mark começa a quebrar a resistência dela aos pouquinhos... Inclusive a resistência a se comunicar por meio de mensagens curtas.
Agora que Abby voltou a escrever e a viver , ela descobre que Mark guarda um segredo que poderá mudar para sempre a vida dos dois.

Apesar dos inúmeros elogios que li pela blogosfera, comecei a ler Twittando o Amor sem esperar muito dele. O subtítulo "Contando uma história em 140 caracteres" me desanimou completamente. Não sou muito fã de livros narrados através de e-mails, cartas ou qualquer outro desses artifícios. Gosto do encontro, do diálogo direto, da narração comum dos fatos. Mas, o romance de inusitado de Abby e Mark me surpreendeu e me desarmou, quando percebi já tinha sido completamente fisgada.

Há tempos uma história não me envolvia tanto, não mexia tanto com as minhas emoções, não me deixava tão apaixonada e encantada. Há tempos um livro não me fazia querer largar tudo para ficar grudada em suas páginas, enredada em sua trama, apaixonada pelos seus personagens. Não estou falando de uma grande história, com um enredo intrincado, uma trama forte e bem elaborada, mas da alegria e da satisfação que eu encontrei na simplicidade e na singeleza de um livro fininho, que me arrancou muitos sorrisos, alguns suspiros e uma poucas e atrevidas lágrimas (estou sensível).

Encontrar o amor verdadeiro através da internet é algo altamente improvável, mas quando acontece e é para valer, acho muito romântico. A relação entre Abby e Mark começou com tweets aleatórios e a medida que eles conversavam e encontravam coisas em comum, ficavam cada vez mais íntimos. Os tweets eram engraçados e espirituosos, cheios de referência à cultura pop e com alguns flertes sutis.

A autora não dá muitos detalhes sobre as características físicas dos personagens durante a história, só bem no final, com algumas pistas, consegui imaginar como cada um seria. Talvez a intenção da Teresa fosse nos colocar exatamente na posição em que eles estavam, conhecendo um ao outro através apenas das palavras e dos sentimentos que haviam por trás delas, nada de focar na aparência.

Mark é um personagem incrível e apesar de ter errado com Abby, a forma como ele tentou se desculpar e consertar seu erro inundou meu coração de ternura. Quando li que ele colocou na foto do perfil a imagem do John Cusack segurando um aparelho de som portátil perto da cabeça como o Lloyd Dobler de Digam o que Quiserem meus olhos encheram de lágrimas (foi uma das únicas referências ao cinema que eu reconheci, rsrs). Além disso, todas as vezes que ele se despedia de Abby com um "Boa noite, Tweetheart...", eu não conseguia conter um suspiro *-*

Algo que me incomodou bastante com relação ao livro é também uma de suas características mais legais, principalmente para quem entende do assunto: as referências aos programas de televisão, séries, livros, filmes e músicas. Fiquei perdida a maior parte do tempo, foram poucas as vezes que eu realmente entendi sobre o que eles estavam falando. Outra coisa que me incomodou é que poucas vezes eles tiveram uma conversa séria para falar mais profundamente sobre suas vidas. Não foi algo que tenha atrapalhado a história ou a tornado menos real, pois as confissões sobre seus problemas e medos sempre surgiam no meio das brincadeiras, é só algo que não ficou tão legal.

Tweetando o Amor é doce, encantador, espirituoso, comovente e tem um final maravilhoso. Uma moderna história de amor, super indicada para os amantes do Twitter e os românticos de plantão.

17 comentários:

  1. Achei muito interessante a premissa desse livro, principalmente em não saber características fisicas dos personagens. Tinha deixado esse livro de lado, não o tenho, mas já o quis, mas me esqueci desse desejo de lê-lo.

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  2. Oi Caline, vi seu comentário em uma rede social sobre o livro, e fiquei bem curiosa para conhecer a história também. Agora, lendo a resenha, acho que vou passá-lo mesmo na frente de outros. Estou sentindo falta de uma história que consiga conquistar por inteiro.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. oi, Caline!
    Tivemos as mesmas impressões sobre o livro. Em geral eu gostei muito, muito mesmo e ainda que as incontáveis referências também tenham me incomodado, ainda fechei com 5 estrelas porque, bom, fui completamente conquistada. ♥

    Enquanto você gostou da despedida (que eu também achei uma gracinha), eu fico com a saudação. Não sei porquê, mas ficava toda bobalhona quando ele perguntava "Como está vestida?" E as respostas eram sempre tão bacanas, que eu ficava rindo sozinha. HAHAHA

    Eu fiquei meio "assim" só com a revelação do Mark. Juro que esperava que fosse a editora dela HAHAHa Mas seria horrível, né? Enfim, foi legal, foi lindo. Amei o final e tudo ok rs

    Beijo
    PS: ainda bem que tu publicou logo essa resenha. Tava doida pra comentar alguma coisa com alguém que leu. Obrigada! =P

    ResponderExcluir
  4. Eu ainda não tinha lido/ouvido sobre esse livro, mas com essa sua resenha fiquei bastante curiosa. Eu também não gosto de livros que são narrados através de cartas, emails, bilhetes e afins, mas gosto de dar chances e já aconteceu de eu ler um livro nesse estilo e ele se tornar o meu preferido, então acredito que irei dar uma chance a esse!
    Bela resenha e belo blog ^^ Você que fez o layout e o desenho?
    xoxo
    foradocontextoo.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Estou precisando de um livro que me faça sentir assim, vou seguir sua dica ;)

    xoxo
    www.amigadaleitora.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Caline, tudo bem?
    Já tinha ouvido falar desse livro assim que lançou, mas não tinha me interessado nele. Acho que o título e a temática não me atraíram muito para essa leitura.
    Confesso que sua resenha me deixou um pouco mais curiosa para conhecer essa história, mas tenho tanto livro pra ler na estante que estou me proibindo de fazer novas compras. Mas quem sabe em breve não compro ele em alguma promoção ou coisa do tipo...

    Beijão ;*
    http://www.livrosesonhos.com/

    ResponderExcluir
  7. Olá! Achei a premissa do livro bem interessante, mas não gostei da capa, tenho problemas com capas feias, o clássico julgando pela capa, sei lá.

    http://www.whoisllara.com/

    ResponderExcluir
  8. Oi, Caline! Tudo bom? Muito que já ouvi falar deste livro, ele tem uma premissa muito boa, porém, só o leria se não tivesse outras opções na estante. Gostei da tua resenha, pois tu ressaltou tantos os pontos positivos quantos os negativos. Beijo,
    http://entreeleitores.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Oi Caline!
    Diferente de você, gosto bastante de livros narrados em e-mails, tweets, cartas... ah, amo cartas! Tenho esse livro aqui e não imaginava que história fosse tão boa.

    Beijos,
    http://www.epilogosefinais.com/

    ResponderExcluir
  10. Oi Caline!
    Eu acho a capa desse livro um amor, muito fofa!
    Porém a história em si não me chama muito a atenção.
    Ótima resenha! Muito bem argumentada!
    Beijos

    Li
    literalizandosonhos.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  11. Eu já tinha passado os olhos por esse livro e nem dei muita atenção achando que seria bobo. Agora fiquei curiosíssima para ler!

    The Fat Unicorn

    ResponderExcluir
  12. Oi Cáh,
    Eu não li Twittando o Amor exatamente pelos motivos que você citou no começo da resenha. Não costumo gostar de livros contados através da internet. (A única exceção é 'Simplesmente Amor', mas só porque os casos de email são raros ... kkkkkk em geral eram cartas) Enfim, não sei, a linguagem descontraída e desconstruída me irrita um pouco na leitura. Na minha opinião, erros de ortografia propositais e abreviações de internet não combinam com romances. Acho que sou muito careta para essa modernidade literária HAHAHA' Ótima resenha, nunca imaginaria que você derrubaria algumas lágrimas lendo esse livro. <3 Romântica incurável como eu, dona Caline! kkkk

    Beijos,
    Mari Siqueira
    http://loveloversblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  13. oie Caline
    ai esses livrinhos curtos que nos surpreendem.
    Eu estou louca para ler esse, e ver sua resenha me tranquilizou. Agora a imagem do John Cusack não vai sair da minha cabeça quando eu for ler o livro rs
    bjos
    www.mybooklit.com

    ResponderExcluir
  14. Olá, Caline.
    Juro que eu não esperava que esse livro recebesse uma avaliação tão boa de ti. Juro que não esperava que a história merecesse mais que 3 estrelas. Não sei se isso se deu pela forma que a editora fez a divulgação do livro ou pela capa, mas não dava nada por ele e provavelmente nem leria se não fosse sua resenha. Vou olhar para o mesmo com outros olhos agora.
    Beijos.

    memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
  15. Oi Caline :)
    Ainda não li Twittando o Amor, mas é um dos próximos livros que lerei. Eu gosto muito desse estilo de narrativa, sempre acaba me prendendo muito mais do que as convencionais. Por ele ser leve, divertido e bem fininho, acho que lerei em uma sentada.
    Beijos
    Coisas de Meninas

    ResponderExcluir
  16. Eu tinha um enorme preconceito com livros assim também, não conhecia esse ainda, mas pela sua resenha ele parecer sem bem legal, não é meu gênero favorito, mas gostei da premissa, quero ler!


    Estandy Books - A Estante da Andy

    ResponderExcluir
  17. Caline, quero muito ler esse livro.
    Sou igual a você no quesito de preferir uma história contada diretamente, sem e-mails, cartas e tudo o mais, mas de vez em quando encontramos alguns livros que acertam nesse ponto. Simplesmente Acontece, da Cecelia Ahern, é um deles. Não tenho preconceito, não.
    Esse parece ser uma graça de fofo.

    Beijoooos

    www.casosacasoselivros.com

    ResponderExcluir

Participe do blog... Deixe seu comentário!!!
Sua opiniões, idéias, sugestões... são muito importantes para mim.
Um xero!
P.S: Comentários anônimos não serão aceitos!!!

 
Mundo de Papel © Tema base por So Kawaii. Tecnologia do Blogger.