Os 13 Porquês - Jay Asher

Título Original: Thirteen Reasons Why
Data de Publicação: 2009
Número de Páginas: 256
Editora: Ática
Classificação:







Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra um misterioso pacote com várias fitas cassetes. Ele ouve as gravações e se dá conta de que foram feitas por uma colega de classe que cometeu suicídio duas semanas antes. Nas fitas, ela explica que 13 motivos a levaram à decisão de se matar. Clay é um deles. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.

Antes de começar preciso admitir para vocês que essa é uma das resenhas mais difíceis do blog. É difícil falar de um livro quando não se tem certeza do que você sentiu ao ler. Eu poderia dar um tempo, esperar as emoções acalmarem, pensar um pouco melhor no que escrever, mas tenho certeza que nada mudaria. Meus sentimentos com relação a ele continuariam os mesmos, os meus pensamentos com relação ao que Hannah fez e o porquê dela ter feito, continuariam os mesmos.

Julguei Hannah e o que ela fez, não compreendi os seus motivos, não aceitei suas justificativas. Antes de morrer ela gravou treze fitas, cada uma contando uma história, cada história tinha além de Hannah outras pessoas envolvidas. Através das fitas ela tenta nos mostrar as razões que a levaram a cometer o suicídio e essas razões estão sempre ligadas a outras pessoas. Mas eu não consegui entender seus motivos, achei que ela foi fraca demais, sensível demais, levou situações que poderiam ser facilmente contornadas ao extremo e depois foi se isolando - é claro que algumas coisas realmente foram pesadas mas ela própria admitiu que procurou por elas. Ela precisava de ajuda, mas não deixava as pessoas se aproximarem. E no fim ela resolveu levar tudo em frente.

Ela poderia ter superado, procurado ajuda, ignorado, ter gritado, reagido, xingado, mas o que ela fez foi o que infelizmente muitas garotas fazem quando se sentem pressionadas socialmente, quando são julgadas por coisas que não fizeram ou que fizeram sem pensar nas consequências, ela desistiu da vida. E foi ao perceber isso que eu comecei a me sentir mal por julgá-la. Por não entender que pequenas atitudes fazem toda a diferença, principalmente quando elas vão acontecendo sucessivamente e você perde completamente o controle da situação.

Sinto-me mal por julgá-la, porque como ela mesma admitiu em uma das últimas fitas:

Antes daquela festa, eu pensara em abandonar tudo muitas vezes. Sei lá, talvez algumas pessoas sejam simplesmente mais precondicionadas a pensar nisso do que outras. Porque toda vez que acontecia alguma coisa ruim, eu pensava nisso.
P.216
                                                                                   
Deu pra perceber que ela conseguia enxergar que os seus pensamentos eram precipitados, que não era normal ter esse tipo de desejo porque sua vida estava completamente fora dos trilhos. E é por isso que apesar de julgá-la tentei entender que algumas pessoas são mais susceptíveis do que outras, são mais frágeis, mais sensíveis e não conseguem superar nem mesmo pequenos problemas e isso acaba se tornando uma bola-de-neve sem controle. Isso pode ser ainda pior quando acontece na adolescência  uma fase de fragilidades e nem todos estão preparados para passar por ela.

É difícil gostar de um livro quando você não concorda com as atitudes da personagem principal, principalmente nesse caso, onde boa parte do livro é narrado por ela. Mas eu não posso dizer que não gostei, porque estaria mentindo. Confuso? Sim e é por isso que pela primeira vez uma livro ficará sem classificação aqui no blog. Posso dizer que a narrativa de Jay Asher é envolvente, viciante e que ela vai te prender de tal forma que você irá querer sempre mais. Posso dizer que a ideia de escrever sobre um assunto tão delicado e bastante comum ultimamente (infelizmente), foi incrível. Reviver os passos de Hannah, saber o que ela estava sentindo, tentar entender os motivos que a levaram a fazer o que fez, foi uma experiência que ficará na minha memória por muito tempo. Mas eu não concordo com as atitudes de Hannah, posso ter tentado me sensibilizar com os seus problemas e tentado entendê-la, mas não consegui ir além disso, continuo vendo erros em cada uma de suas decisões. As pessoas podem ter sidos cruéis ao tratá-la como trataram, mas ela também foi cruel culpando-as pelo que fez.

Jay Asher escreveu um livro marcante, que embaralhou meus sentimentos e me deixou completamente confusa sobre o que dizer e até sobre o que pensar. Julguei mesmo sabendo que não tinha esse direito, tive raiva de Hannah do início ao fim mesmo ela sendo vítima de pessoas maldosas e que pouco se importavam com os sentimentos alheios, mas ela foi uma mártir por opção e em nenhum momento parou para pensar que da mesma forma que ela estava sofrendo por causa das atitudes de outras pessoas, ela também faria muita gente sofrer com a sua decisão.

Os 13 Porquês é um livro arrebatador, que me fez refletir, questionar e repensar a minha forma de agir com as pessoas. Me fez perceber que algumas decisões extremas como o suicídio resulta de pequenos fatos e não apenas de algo grande que possa desencadear esse tipo de atitude e que por isso devemos ter bastante cuidado com nossas palavras e ações, elas podem machucar alguém de forma irreversível.

8 comentários:

  1. Nossa que loucura... estava ansiosa para ler esse livro a um tempo atrás, mas no fim acabei esquecendo...
    A sua indecisão, julgamento e o livro bom por um lado e ruim por outro me deixou curiosa novamente.

    ResponderExcluir
  2. Oi Caline!

    Eu tenho vontade de ler esse livro.
    Mas, até então, nenhuma resenha tinha me deixado tão curiosa quanto a sua! Vou adicionar o livro aos meus desejados agora mesmo.

    Quando a gente não se identifica com as atitudes da personagem, realmente fica complicado. :/
    Mas, se é o tipo de livro que mexe com os nossos sentimentos... Então vale a pena de qualquer forma! :)

    Beijos!!

    ResponderExcluir
  3. EI Caline,

    Eu vejo sempre todo mundo elogiando tanto este livro que sou doida para ler. Só não comprei ainda por falta de oportunidade mesmo, sempre que tento ele está esgotado ou caro demais rs.
    Mas ainda vou comprar, apesar que acho que também não vou concordar com a protagonista.
    bjs

    ResponderExcluir
  4. Oi Ca, tudo bem?? Muito obrigada pelo comentário no blog, fiquei super feliz com sua visita viu! *-*

    Menina, sou LOUCA pra ler este livro! Só vejo resenhas ótimas e, apesar de você não ter concordado com as atitudes e pensamentos da Hannah, a sua resenha também me deixou curiosa pra ler este livro.

    "E é por isso que apesar de julgá-la tentei entender que algumas pessoas são mais susceptíveis do que outras, são mais frágeis, mais sensíveis e não conseguem superar nem mesmo pequenos problemas e isso acaba se tornando uma bola-de-neve sem controle." Acho que essa fragilidade é o que me chama a atenção, sei que quando o machucado é em nós, não importa o tamanho, quem sente a dor é a gente mesmo. Não dá pra julgar a dor pelo tamanho do machucado. Acho que vou amar esse livro, pena que não encontro em promoção... =(

    Obrigada por compartilhar sua opinião conosco!
    :*

    ResponderExcluir
  5. Oiii!!
    Ainda não li esse livro!
    Mas parece ser daqueles livros que nos faz questionar muitas coisas com relação a nossa vida e a da personagem!
    Fiquei curiosa para lê-lo!
    Beeijos

    Elidiane
    Leitura entre amigas

    ResponderExcluir
  6. Caline, tenho que admitir: você me deixou curiosa!
    Não conhecia este livro e sua resenha me deixou com aquela vontade de ler! Sei exatamente o que é ler um livro e não "saber" classificá-lo, principalmente por este motivo: não concordar com a personagem.

    O enredo da estória é brilhante. Fitas! Adorei.
    Obrigada pela resenha. Anotarei no Skoob agora!

    Beijos, Lu ♥
    http://luizando.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. Caline, sempre que você posta essas resenhas animadas, dizendo que te marcou e tudo mais eu fico extremamente curiosa, você tem um senso crítico muito bom e sempre que gosta de algo é porque é muito bom, então já fiquei extremamente curiosa!!

    Michelle Boyd
    The Little Things

    ResponderExcluir
  8. Muito, muito, muito bom! Esse livro é fantástico, realmente te proporciona mil coisas com a leitura. Jay Asher é ótimo
    Beijo,
    Nic

    ResponderExcluir

Participe do blog... Deixe seu comentário!!!
Sua opiniões, idéias, sugestões... são muito importantes para mim.
Um xero!
P.S: Comentários anônimos não serão aceitos!!!

 
Mundo de Papel © Tema base por So Kawaii. Tecnologia do Blogger.