A Pousada de Rose Harbor - Debbie Macomber (Rose Harbor #1)

Título Original: The Inn at Rose Harbor
Data de Publicação: 2013
Número de Páginas: 352
Editora: Novo Conceito
Série:  Rose Harbor #1
Classificação:
Livro cedido em parceria com a Novo Conceito

Jo Marie Rose decide comprar uma pequena pousada, como forma de superar a morte do marido. Mal sabe ela que as surpresas que a esperam nessa nova empreitada. Seu primeiro hóspede é Joshua Weaver, que voltou para casa para cuidar de seu padrasto doente. Os dois nunca se conheceram pessoalmente e Joshua tem alguma esperança de que possam conciliar suas diferenças. No entanto, uma habilidade de Joshua há muito perdida prova que o perdão nunca está fora de alcance e que o amor pode florescer onde menos se espera.
A outra hóspede é Abby Kincaid, que retorna a Cedar Cove para comparecer ao casamento do irmão. De volta pela primeira vez em 20 anos, ela quase deseja não ter ido, devido às memórias trazidas pela pitoresca cidade. E conforme Abby se reconecta com sua família e seus velhos amigos, percebe que só pode seguir em frente se permitir-se verdadeiramente a isso.

Quando decidi ler A Pousada de Rose Harbor de Debbie Macomber, esperava encontrar um bom romance, com uma história para aquecer o coração e que me deixasse satisfeita e feliz no final. Não li a sinopse e nenhuma resenha sobre ele, por isso foi uma surpresa para mim perceber que romance não era o ponto forte do livro. O que eu encontrei na verdade foi a história de três pessoas tentando se entender com o seu passado, tentando encontrar o perdão e recomeçar.

O livro é dividido em capítulos que são narrados alternadamente por cada um dos três personagens principais: Jo Marie, Abby e Joshua. A narração de Jo Marie é feita em primeira pessoa, enquanto que os acontecimentos envolvendo Abby e Joshua são narrados em terceira pessoa. Essa alternância na forma de narração me incomodou um pouco e até o final do livro eu ainda não tinha me acostumado com ela. Não sei explicar porque - afinal já li outros livros que alternavam as narrativas - mas nesse caso não achei que deu muito certo. É como se a cada vez que a narrativa mudava, quebrava o ritmo da história.

Cada um dos personagens tinha um passado cheio de dor e marcado pela perda. Jo Marie decidiu mudar-se para Cedar Cove e comprar a pousada depois da morte de seu marido Paul. Joshua voltou a cidade depois de anos, para recuperar as coisas da sua mãe e enfrentar o seu padrasto. Abby perdeu a amiga Angela em um acidente de carro e nunca se perdoou por isso. Cada uma deles precisava curar suas feridas e seguir em frente.

A pousada e sua dona eram como âncoras para as histórias dos dois hóspedes. Apesar de ter a mesma quantidade de capítulos que os outros personagens, a história de Jo Marie se desenvolveu de forma mais lenta isso se deve com certeza ao fato de que esse livro faz parte de uma série e que ficaremos sabendo um pouco mais sobre sua vida nos livros que virão. Inclusive já estou sentindo um novo amor começar a surgir em sua vida.

Quanto a Abby e Joshua, suas histórias tiveram início, meio e fim e apesar de não terem sido muito consistentes ou satisfatórias conseguiram deixar suas lições e essa com certeza era a intenção da autora.
O livro também tem uma pitada de sobrenatural. Nada de fantasmas - pelo menos não que tenham aparecido fisicamente - ou momentos assustadores, eram mais situações onde a intuição falava mais alto e acertava, onde coincidências bem interessantes aconteciam, onde os sonhos eram tão reais que ficava difícil definir se era mesmo apenas um sonho. Foi algo sutil em alguns momentos, forçado em outros mas que teve sua importância no desenvolvimento da história.

A Pousada de Rose Harbor não foi o livro mais emocionante ou mais marcante dentre os que eu li até hoje, mas conseguiu deixar a sua mensagem. Os personagens e seus dramas, me mostraram que buscar o perdão do outro é tão importante quanto perdoar a si mesmo. Deixar o passado para trás, curar as feridas e recomeçar é o próximo passo para conseguir se feliz.

12 comentários:

  1. Oi Caline! Essa sua resenha acho que foi a primeira que li sobre o livro, que eu também pensada ser um romance, daqueles bem água com açúcar que eu amo. Mas é bom ser surpreendida né, eu gosto quando tem esse mistérios sobre os personagens e adoro ler como eles lidam com os traumas e problemas sozinhos, é quase como uma auto ajuda.

    Beijão
    Michelle Boyd
    Little Things

    ResponderExcluir
  2. Adoro livros que a narrativa vária em ponto de vistas de vários personagens, esse é um grande ponto positivo em minha opinião...

    Gostei muito da resenha e fiquei com vontade de ler.

    Estandy Books - A Estante da Andy

    ResponderExcluir
  3. Esses dias mesmo comentei em um blog que a narrativa alternada me incomodava um pouco D: Não li o livro, porém essa característica tirou minha vontade de lê-lo por enquanto. Acho muito fácil que haja uma confusão imensa na leitura devido à esse ponto.

    Beijo
    Mariana | Sem querer me intrometer

    ResponderExcluir
  4. Nunca tinha ouvido falar desse livro, mas a estória parece ser bem interessante...

    ResponderExcluir
  5. Humm, confesso que esperava mais do livro. Não sei, mesmo deixando lições e tal, não fiquei tão inclinada a ler ele logo, sabe? Essa é a primeira resenha que leio dele. Sei que logo sairá uma série de TV baseada nele e estava bem curiosa. Não gosto de enrolação como na parte da "protagonista", que você comentou. Enfim, esse não é um livro para agora! Mas pretendo ler em breve.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Bom, narrar livros sobre várias concepções diferentes, é genial, pena que você disse que não gostou tanto :(
    Eu sei lá, to tendo bastante sorte com livros ultimamente e esse me parece ser intrigante, me parece ter seu valor, porém to tentando ler só livros ótimos, e manter minha marca, portanto não vou anota-lo :)
    bjs

    ResponderExcluir
  7. Oiii..
    Este é um livro que não me atrai em nada, principalmente pela capa; mas tenho que confessar que pela sinopse parece ser um bom livro ^^

    Beijos, Lu ♥
    http://luizando.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  8. Oie Caline
    jurava que teriam fantasmas assombrando a pousada rs que bom que sua resenha me esclareceu bastante coisa, assim não leio com aquela expectativa exagerada.
    bjos

    ResponderExcluir
  9. Oi Caline!

    Sério? Eu estava esperando a mesma coisa que você a respeito desse livro...
    Mas, mesmo assim, acredito que irei gostar. Pois, parece ser uma leitura gostosa.
    E a capa me conquistou! :)

    Bela resenha!!

    Beijos! =^.^=

    ResponderExcluir
  10. Ei Caline!

    Primeira resenha que leio desse livro.
    Como assim, um livro com essa capa, não é totalmente romance? o.O

    ihh... problemas na narrativa?
    é bom, mas não marcante? Acho que vou dispensar, rs.
    Menos um.

    Bjins

    ResponderExcluir
  11. Fiquei muito interessada nesse livro.
    Ah, adoro dramas, relações de amizade e afinidade entre as personagens. A ideia de reunir pessoas com seus problemas numa pousada é muito atraente pra mim... quero muito ler!
    O perdão, sem dúvidas, é libertador, muito mais pra quem perdoa e se livra de tanto peso e dor. Bela mensagem.

    ResponderExcluir
  12. Eu estava achando que era um romance mesmo, rsrs. Essa é a primeira resenha que to lendo dele e gostei. Apesar de estar um pouco triste por não ser romance (eu amoooo romances, rs) também fiquei curiosa por ser uma história com "lições", sobre perdas e tals. Parece ser um livro um tanto emocionante!

    Beeijos, Flá. { http://pequenascoisaas.blogspot.com.br/ }

    ResponderExcluir

Participe do blog... Deixe seu comentário!!!
Sua opiniões, idéias, sugestões... são muito importantes para mim.
Um xero!
P.S: Comentários anônimos não serão aceitos!!!

 
Mundo de Papel © Tema base por So Kawaii. Tecnologia do Blogger.