Sessão Pipoca - Intocáveis (2012)

"Ele é insuportável, vaidoso, orgulhoso, brutal, inconstante, humano. Sem ele, eu estaria morto por decomposição. Abdel cuidou de mim sem cessar, como se eu fosse um bebê de colo. Atento ao menor sinal, presente em todas as minhas ausências, ele me libertou quando fiquei preso, me protegeu quando eu estava fraco. Ele me fez rir quando eu não aguentava mais. Ele é meu diabo guardião”.


Vou começar essa resenha afirmando que esse é um dos melhores filmes que eu tive a chance de assistir nos últimos tempos. Aprendi a não julgar o livro pela capa, mas ainda preciso aprender a não julgar o filme pela sinopse ou pelo pôster, posso estar perdendo a chance de viver uma experiência ímpar e inesquecível.

Intocáveis conta a história real de um tetraplégico milionário que precisa contratar um auxiliar de enfermagem para lhe ajudar no dia-a-dia. Vários enfermeiros já trabalharam com Phillipe, mas acabaram desistindo por causa do seu comportamento.
Driss não está atrás de um trabalho, ele quer apenas que Phillipe assine um documento confirmando que a entrevista foi feita, mas que ele não foi considerado apto, dessa forma ele poderá receber o dinheiro da previdência por estar desempregado. Mas Phillipe vê em Driss a pessoa perfeita para o cargo e decide contratá-lo. A partir daí os dois desenvolvem uma amizade sincera e improvável que vai ajudar Phillipe a enxergar que a vida não terminou depois que ele ficou em uma cadeira de rodas.


Meu namorado me convidou para assistir esse filme várias vezes, mas eu não tinha simpatizado com o pôster nem com a sinopse, além disso tenho um pé atrás com filmes que não são americanos ou brasileiros. Tentei assistir uma filme francês certa vez e o sotaque dos atores me distraiu da história, acho que o problema era o filme e não a língua, mas de qualquer forma coloquei na minha cabeça que isso sempre aconteceria e por algo tão bobo deixei passar vários filmes. Mas não foi apenas por causa da língua que eu sempre escolhia assistir outro filme ao invés desse, quando li a sinopse e vi algumas críticas iniciais achei que a história seria aquele tipo de drama que te deixa arrasada e eu não estava afim de assistir nada assim.

Minha ideia preconcebida se mostrou um equívoco depois de assistir 112 minutos de uma incrível história de amizade e cumplicidade. Intocáveis é um filme lindo que me fez chorar sim, mas me fez rir muito mais. Driss tem uma alegria de viver e uma vontade de aproveitar cada segundo que chega a ser contagiante. Apesar da sua inexperiência como enfermeiro ele se saiu muito melhor cuidando de Phillipe do que todos os outros que vieram antes, porque ele não fazia apenas pelo dinheiro ele se preocupava de verdade e mais do que isso, ele queria ver seu amigo feliz, aproveitando a vida da melhor forma possível.


Todo o elenco, principalmente os atores Driss (Omar Sy) e François Cluzet (Phillipe) deram um show de interpretação. Como não sentir o coração pesado cada vez que Phillipe sentia dores insuportáveis ou achava que a vida não tinha mais nada de bom para lhe oferecer? Como não ser contagiado pela alegria e espontaneidade de Driss? Confesso que quando Earth, Wind and Fire comceçou a tocar senti vontade de sair dançando pela sala tentando acompanhar os passo de Driss, rs.

Pensei durante muito tempo se deveria ou não escrever uma resenha para esse filme, sabia que jamais conseguiria colocar aqui o quanto ele me emocionou e o quanto a história desses dois amigos tão incomuns é incrível. Deem uma chance a Phillipe e Driss, garanto que vocês não irão se arrepender. Intocáveis é um filme inesquecível!

Curiosidades: A história de Phillipe e Driss é real, a diferença é que na história verdadeira Driss se chama Abdel e é um árabe. No final do filme os verdadeiros protagonistas aparecem juntos.

Phillipe e Abdel


Título: Intocáveis
Título Original: Intouchables
Origem: França
Ano de produção: 2012
Gênero: Comédia/Drama
Duração: 112 min
Direção: Olivier Nakache/Eric Toledano
Classificação:


9 comentários:

  1. Ai Caline fiquei com peso na consciência agora, meu namorado também vive me chamando pra ver esse filme, mas eu nunca dei muita bola, e agora tu me diz que ele é todo especial, HAUAHUAHAU vou ter que ver né?!

    Michelle Boyd
    The Little Things

    ResponderExcluir
  2. Oi Caline, conheci seu blog hoje por indicação do Blog Pequenas coisas. Nossa gostei muito da resenha, achei super sincera e agora estou com muita vontade de ver esse filme. Pelo que você escreveu já estou vendo que vou chorar muito vendo esse filme. Filmes assim com alguma lição ou com demonstrações sinceras de amizade mechem muito comigo. Quanto a nacionalidade dos filmes, eu até prefiro os que não são dos EUA, gosto de filmes mais simples e com uma pegada índie, independente.

    ResponderExcluir
  3. A sinopse desse filme me lembra um filme antigo do Al Pacino do qual não lembro o nome, o que só me faz ficar ainda mais instigado!
    Parece lindo!
    Beijos,
    Vinícius - Livros & Rabiscos

    ResponderExcluir
  4. Oi Caline,
    Ainda não assisti a esse filme, mas após ler sua resenha, fiquei curiosa, para conhecer a estória de Intocáveis.

    *bye*

    http://loucaporromances.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Ai que lindo <3 Ao contrário de você, o pôster até que me chamou a atenção, mas eu não conhecia, até ver seu post :) Já está watchlist!

    Beijos
    aritmeticadasletras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  6. Oi Caline!
    Eu também tenho certo preconceito com filmes franceses. É tão estranho pra mim e praticamente todos os filmes que vi detestei por puro preconceito, sabe? :( Estou adiando ver esse filme e Amour... Mas acho que como você disse, estou é perdendo tempo.

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  7. Gostei do comentário sobre o filme, me deixou com vontade de assistir. Irei procurar na locadora ;)
    Beijo,
    Nic

    ResponderExcluir
  8. Oi Caline!

    Tenho esse filme aqui em casa, mas ainda não o assisti. Todo mundo fala super bem!

    Ao contrário de você, eu amooo os filmes europeus! Principalmente os franceses!
    Pois, costumam ser "cults" e não essas babaquices americanas...
    Você já assistiu a algum filme do diretor espanhol Pedro Almodóvar? Faça isso o quanto antes!! Hehe!
    Mas já vou avisando... São filmes para se refletir e não para apenas assistir... É por isso que filme europeu não é qualquer pessoa que gosta.

    Belo post! :)

    Beijos!

    ResponderExcluir
  9. Tive que comentar neste post. Adorei o filme, e acho que você não poderia expor sua opinião de forma melhor! Acho que era o que eu gostaria de dizer ;)

    beijos

    ResponderExcluir

Participe do blog... Deixe seu comentário!!!
Sua opiniões, idéias, sugestões... são muito importantes para mim.
Um xero!
P.S: Comentários anônimos não serão aceitos!!!

 
Mundo de Papel © Tema base por So Kawaii. Tecnologia do Blogger.