O Céu Está em Todo Lugar - Jandy Nelson

Título Original: The Sky is Everywhere
Data de Publicação:
2011
Número de Páginas:
424
Editora:
Novo Conceito
Classificação: 






Este é um livro de estreia vibrante, profundamente romântico e imperdível. Lennie Walker, de dezessete anos de idade, gasta seu tempo de forma segura e feliz às sombras de sua irmã mais velha, Bailey. Mas quando Bailey morre abruptamente, Lennie é catapultada para o centro do palco de sua própria vida - e, apesar de sua inexistente história com os meninos, inesperadamente se encontra lutando para equilibrar dois. Toby era o namorado de Bailey, cujos sentimentos de tristeza Lennie também sente. Joe é o garoto novo da cidade, com um sorriso quase mágico. Um garoto a tira da tristeza, o outro se consola com ela. Mas os dois não podem colidir sem que o mundo de Lennie exploda...

O Céu Está em Todo Lugar é um livro tocante, escrito de forma singular, que trata sobre o luto de forma real sem ser exageradamente dramático e triste. É um livro que mistura tristeza e humor na dose certa e de forma muito bem sucedida. Assuntos mais sérios como a morte da irmã de Lennie e o abandono de sua mãe se misturam às dúvidas e descobertas adolescentes do primeiro amor.

O livro é narrado por Lennie e dessa forma acompanhamos todo o processo de amadurecimento da personagem, a superação pela morte da irmã e sua tentativa de entender os sentimentos confusos que povoam seu coração. 

Lennie é uma garota meio introspectiva, que comete erros e que se permite fazer escolhas que não teriam ocorrido antes da morte de sua irmã. Ela tomou algumas atitudes que me incomodaram um pouco. Depois da morte de Bailey ela se isolou em um mundo de lembranças e dor e não permitiu que ninguém se aproximasse. Achei injusta a forma como ela tratou a avó e o tio, se fechando completamente e impedindo que qualquer pessoa se aproximasse, além disso ignorou completamente o fato de que eles também amavam Bailey e estavam sofrendo com a dor tanto quanto ela. Mas o que me incomodou mesmo foi o envolvimento dela com Toby, o namorado da irmã. A dor da perda pode se manifestar de diversas maneiras, mas essa ideia de se envolver com Toby porque ela se sentia mais próxima a Bailey, não me convenceu. É um envolvimento carregado de tristeza, culpa e arrependimento, algo meio compulsivo.

Joe foi como o sol surgindo entre nuvens carregadas. Sua alegria, seu sorriso contagiante, seu jeito atencioso e carinhoso fez Lennie se sentir viva de novo. Mas não foi apenas o coração dela que ele conquistou, sua vó e seu tio Big, começaram a se recuperar e se sentir felizes outra vez depois que ele apareceu. Fiquei muito, muito indignada quando Lennie cometeu a burrice de magoá-lo. Senti sua dor e decepção em mim e até torci para que ele não a perdoasse. Mas apesar de indignada com algumas das atitudes dela, consegui entendê-la, o luto é um período difícil, perder alguém a quem amamos é uma dor dilacerante e esse é um dos momentos em que mais precisamos ser compreendidos.

A linguagem de Jandy Nelson é poética, sensível. O livro é cheio de pequenos trechos de poesia. Após a morte de Bailey, Lennie começa a escrever poemas com lembranças e pensamentos de sua irmã e depois os "liberta". Ela escreve os poemas em pedaços de lição de casa, copos descartáveis, sacos de papel e os esconde em baixo de pedras, em árvores e atrás de móveis. A imagens desses poemas sempre apareciam no início de cada capítulo e esses detalhes somados a letra de cor azul e toda a diagramação perfeita, tornou esse um dos livros mais lindos da minha estante.

Não me senti tão conectada ao livro quanto imaginei. As pessoas falaram muito bem dele e um dos principais comentários era que seria impossível não se emocionar. Me envolvi com a história e senti a tristeza dos personagens, mas não passou disso. Nada de lágrimas e momentos de profunda tristeza.

O Céu Está em Todo Lugar é uma história sobre a dor da perda, mas é também sobre crescer, se apaixonar e se permitir viver quando tudo parece não ter mais sentido.

5 comentários:

  1. Senti muitas das coisas que você expressou na resenha, mas eu, diferente de você, consegui me conectar com a história de tal maneira que eu amei o livro *--* Adoro muito a linguagem da autora e os recursos utilizados por ela :)
    Beijos,K.
    Girl Spoiled

    ResponderExcluir
  2. Opaaa...
    um livro que combinamos a opinião!
    É bacana, bonito, mas não dá pra chorar livros.

    Acho que você gostou ainda um pouco mais que eu...kkk

    Bjins

    ResponderExcluir
  3. Oi Caline, eu comprei esse livro e também caí de amores pela diagramação dele, mas ainda não tive oportunidade de ler. Espero que minha identificação com a obra seja um pouco maior, me sinto um tanto frustrada quando uma leitura fica um tanto superficial.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ai, que pena que você não conseguiu se conectar ao livro... eu simplesmente me APAIXONEI por essa história *-*
    Chorei bastante, me irritei com a protagonista, achei que ela estava errada, que ela estava certa, que ela era uma boba e que ela merecia carinho... foram muitos sentimentos contraditórios que me fizeram amar essa história.

    Beijos,
    Nanie

    ResponderExcluir
  5. Olá! Eu também não gostei do livro :(
    Tentei entender porque tanta gente gostou mais não rolou nadinha comigo!

    Beijos
    @blogscl
    http://www.sonhando-com-livros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Participe do blog... Deixe seu comentário!!!
Sua opiniões, idéias, sugestões... são muito importantes para mim.
Um xero!
P.S: Comentários anônimos não serão aceitos!!!

 
Mundo de Papel © Tema base por So Kawaii. Tecnologia do Blogger.