O Ladrão de Almas - Alma Katsu (The Taker #1)

Título Original: The Taker
Data de Publicação: 2012
Número de Páginas: 432
Editora: Novo Conceito
Série: The Taker #1
Classificação:

No turno da noite em um hospital em Maine, Dr. Luke Findley espera ter outra noite tranquila com lesões causadas pelo frio extremo e ocasionais brigas domésticas. Mas no momento em que Lanore McIlvrae — Lanny — entra no pronto-socorro, ela muda a vida dele para sempre. Uma mulher com passado e segredos misteriosos, Lanny não é como outras pessoas que Luke já conheceu. Ele é, inexplicavelmente, atraído por ela... mesmo ela sendo suspeita de assassinato. E conforme ela conta sua história, uma história de amor e uma traição consumada que ultrapassa tempo e mortalidade, Luke se vê totalmente seduzido. Seu relatório apaixonado começa na virada do século XIX na mesma cidadezinha de St. Andrew, Maine, quando ainda era um templo Puritano. Consumida, quando criança, pelo amor que sentia pelo filho do fundador da cidade, Jonathan, Lanny qualquer coisa para ficar com ele para sempre. Mas o preço que ela paga é alto — um laço imortal que a prende a um terrível destino por toda a eternidade. E agora, dois séculos depois, a chave para sua cura e salvação a depende totalmente de seu passado. De um lado um romance histórico, de outro uma história sobrenatural, The Taker é uma história inesquecível sobre o poder do amor incondicional não apenas para elevá-lo e sustentá-lo, mas também para cegar e destruir — e como cada um de nós é responsável por encontrar o próprio caminho para a redenção.

Sabe quando você não consegue se envolver com a leitura ou criar uma empatia com os personagens? O livro pode ser ótimo mas você não consegue "entrar" na história, sentir o que os personagens estão sentindo, vivenciar cada situação, deixar que a imaginação seja guiada pela narrativa.

Com uma capa linda e uma sinopse instigante Ladrão de Almas prometia uma leitura prazerosa e envolvente, mas mesmo tratando de uma tema tão interessante e que até então eu nunca tinha tido a chance ler, não consegui me conectar a história. Abandonar o livro não passou pela minha cabeça em momento algum, porque por mais que eu não tenha conseguido me envolver completamente, alguns pontos na história me deixaram curiosa e eu queria saber como a autora os desenvolveria. Durante toda a leitura a sensação que eu tive é de que faltava algo seja na narrativa seja na criação dos personagens, que pudesse enfim me fisgar e me levar para dentro da história.

A forma como o livro é narrado é algo que merece destaque. Os capítulos se alternam entre o presente e o passado e sempre se iniciam com a data e o local para que possamos nos situar uma vez que a história se passa em várias partes do mundo e também em épocas diferentes. A narrativa dos acontecimentos atuais são sempre na terceira pessoa e no presente e isso me causou uma certa estranheza, afinal nunca tinha lido nenhum livro onde os verbos estão no presente. Não consegui me acostumar e sempre que um capítulo que se passava no presente eu dava uma espiadinha para ver se ele era pequeno e se acabaria logo.

Assim que o tema imortalidade começou a ser tratado no livro, imaginei que a qualquer momento a autora nos revelaria que eles eram vampiros, mas o diferencial da história está exatamente nisso. A imortalidade é tratada de forma diferenciada, misturada com magia, alquimia e envolta em muito mistério. Não ficamos sabendo de forma clara como as pessoas se tornam imortais. Não sei se isso será melhor desenvolvido nos próximos livros, mas espero saber um pouco mais como a transformação realmente acontece.

Não existem mocinhos nesse livro, os personagens são imperfeitos, egoístas, cruéis, obsessivos, traiçoeiros. Estamos acostumados a livros onde as qualidades dos personagens são sempre exaltadas e sempre existe o bom e mau, mas em Ladrão de Almas é sempre o pior de cada um que nos é mostrado, a parte mais sombria de suas personalidades.

Lanore nutre um sentimento obsessivo por Jonathan. Amor?? Não vejo dessa forma. É mais um sentimento doentio, de posse, de adoração excessiva, de obsessão mesmo, o amor passa longe disso. Jonathan é completamente alheio a esse sentimento, é egoísta por permitir que Lanore fantasie que os dois um dia possam ficar juntos, ela sempre estava lá por ele e para ele.

O grande segredo do livro é revelado quase no final e por pouco não passou despercebido isso porque no decorrer de toda história nem desconfiamos que exista um segredo, a única coisa para mim que parecia sem explicação era o precesso de tranformação da imortalidade. De repente somos pegos de surpresa e quando paramos para pensar tudo se encaixa perfeitamente, principalmente o título: Ladrão de Almas.

Algo que me incomodou bastante foi a narrativa detalhada de algumas cenas fortes. Sei que a autora queria dar mais veracidade, realidade a história e fazer o leitor vivenciar toda a situação, mas preciso admitir que sou fraca para esse tipo de coisa (sangue, dor, machucados profundos, tortura) e muitas vezes ficava tão enjoada que precisava parar, respirar um pouco e só depois de um tempo retomar a leitura.

O final é redondinho, com todas as pontas amarradas, o que me deixou muito curiosa para saber o que virá nos próximos livros.

Intenso, inquietante, sombrio. Uma combinação de perversão e pecado. Personagens imperfeitos, atormentados pela prisão de viver eternamente. Sexo, luxúria, inveja, dor, obsessão, violência. Ladrão de Almas é um livro sobre imortalidade, mas é principalmente a história de um amor obsessivo, unilateral, egoísta, doloroso e destrutivo.





14 comentários:

  1. Ei Caline,

    Eu tbm pensei que seria um livrão, e no fim só achei legal. Acho que é isso, eu tbm não gostei de nenhum dos personagens, tanto fazia o que acontecia com eles rsrs. Vamos ver se melhora no segundo, mas com estes protagonistas, não sei não rs.

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Por mais que a leitura desse livro não seja de toda maravilhosa acho que devia apostar nele um dia desses porque ele me pareceu bom quando você o elogiou. UAHSUAHSUAHUS

    Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  3. Oii!!
    Acho a capa desse livro linda, e pela sua resenha o livro parece ser bem forte!
    Quero lê-lo ^^
    Beijos

    Elidiane - Leitura entre amigas

    ResponderExcluir
  4. Oii!!
    Me encantei por esse livro assim que vi a capa, mas, não estou bem decidida se irei lê-lo ou não, sabe? Não é prioridade para mim agora, apesar de parecer um livro bem escrito e intrigante.
    Beijo!!

    ResponderExcluir
  5. Oi Caline, adorei a sua resenha! Apesar de não ter conseguido se envolver com a trama sua opinião foi critica no ponto certo! Este livro será provavelmente uma das minhas próximas leituras e agora penso que estou mais realista quanto ao que esperar dele! Também achei a capa linda e a sinopse muito bacana! Essa característica da narrativa, de não existirem os personagens bons e os malvados, me deixou curiosa sobre como a autora construiu os personagens e a partir daí como tudo se desenrola!! Sem lados, parece que isso seria difícil!!

    Te espero no Prólogo da Leitura!! ;D

    até mais!

    ResponderExcluir
  6. Gosto de livros que geralmente tem mocinhos bons e vilões. Na sua resenha, vc disse que o livro mostra o lado negativo das pessoas. Pude perceber que é um livro bem intenso, inquietante e sombrio como vc mesma nos contou.

    Mesmo com uma pontada de decepsão (pois eu esperava amor verdadeiro e não obsessão), eu pretendo ler o livro para tirar minhas proprias conclusões.

    Ótima resenha!

    Beijinhos!

    http://aerafeminina.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Caline!
    Primeiramente, parabéns! Gostei muito da sua resenha.
    É uma pena que o livro não tenha conseguido te envolver completamente, sei como é quando isso acontece. A história parece ser muito interessante e gosto de narrativas que conseguem alternar habilmente no tempo, sem deixar o leitor confuso. A narrativa no presente pode parecer estranha mesmo, mas de vez em quando leio um assim (inclusive o último que li) e apesar de preferir no passado, não tenho nada contra.
    Gostei de saber que há um segredo no livro - e que por sinal, o leitor nem percebe a sua presença - gosto de ser surpreendida na história. Também adoro livro em que os personagens são ambivalentes; no mundo real as pessoas são tão complexas e propensas tanto ao mal quanto ao bem, que enxergo isso como um aspecto super positivo pois tornam os personagens mais reais. Tem autores que criam uns santinhos perfeitos que chegam a irritar, acabam ficando muito superficiais.
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  8. Estou doida de vontade pra ler Ladrão de Almas *-*
    A sinopse é super instigante e te confesso que isso que a incomodou (da parte detalhada em cenas fortes) eu acho que vou gostar rsrs

    Bjs,
    Kel
    www.itcultura.com.br

    ResponderExcluir
  9. Caaaa, eu já comentei nesse post, mas eu vim aqui retribuir o seu comentário super lindo e compreensivo lá no blog *-* Realmente esse hiatus mudou tanto o meu ânimo para o blog quanto na minha vida.

    Beijooooos <3 Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  10. Oi Ca, entendo bem esse negócio de gostar da história mas não conseguir se envolver, isso é realmente frustrante ;/
    O bom é que a história se encaixa, ultimamente a produção de livros é tão intensa que os livros deixam de ser, alguns autores simplesmente querem acabar de qualquer jeito ;~ Se ler o livro, espero me agradar da história.

    Beijos

    ResponderExcluir
  11. Eu estou querendo muito ler esse livro e pela sinopse ele parece ser legal. O interessante da sua resenha é que quando comecei a ler, eu pensei que o livro não seria tão bom quanto imaginei, só que no decorrer dela, por conta da sua descrição dos personagens e das histórias me senti mais instigada a ler. Eu gosto de livros que tratam principalmente dos defeitos das pessoas, porque ninguém é só qualidade? E pelo que você falou, acredito que ele não seja um livro superficial, mas um pouco mais profundo, certo?
    Enfim, continuo não vendo a hora para ler ele.
    Beijinhos
    Segredo de um Mundo

    ResponderExcluir
  12. Oi Caline!

    Putz, que pena que você não gostou muito.
    Quando a gente não consegue se identificar com os personagens, realmente fica complicado gostar da leitura.
    Mas essa trama me deixa curiosa!! Estou doida para ler o livro. :)
    E essa capa é linda demais! :D

    Beijos!

    ResponderExcluir
  13. Hmm!
    Caline, gostei bastante da sua resenha!
    Não fazia nem ideia de que o livro era tão forte assim... iria começar a leitura esperando outra coisa e iria acabar me decepcionando!
    Mas.. eu tb sou meio como vc, fraca para algumas coisas, vamos ver o que acho...
    Beijos!

    ResponderExcluir
  14. Sua resenha disse tudo o que eu não consegui colocar em palavras. hahaha Mas eu confesso ter me irritado demais com esse amor obsessivo da Lanore. Chegou uma hora que eu queria terminar logo pra começar outra coisa, que menina burra. Quanto mais se ferra, mais quer quebrar a cara. Oxe. u.u

    Beeijos!

    ResponderExcluir

Participe do blog... Deixe seu comentário!!!
Sua opiniões, idéias, sugestões... são muito importantes para mim.
Um xero!
P.S: Comentários anônimos não serão aceitos!!!

 
Mundo de Papel © Tema base por So Kawaii. Tecnologia do Blogger.