Para Sempre - Kim e Krickitt Carpenter

Título Original: The Vow
Data de Publicação: 2011
Número de Páginas: 144
Editora: Novo Conceito
Classificação:




A vida que Kim e Krickitt Carpenter conheciam mudou completamente no dia 24 de novembro de 1993, dois meses após o seu casamento, quando a traseira do seu carro foi atingida por uma caminhonete que transitava em alta velocidade. Um ferimento sério na cabeça deixou Krickitt em coma por várias semanas. Quando finalmente despertou, parte da sua memória estava comprometida e ela não conseguia se lembrar de seu marido. Ela não fazia a menor ideia de quem ele era. Essencialmente, a "Krickitt" com quem Kim havia se casado morreu no acidente, e naquele momento ele precisava reconquistar a mulher que amava.

Para Sempre de Kim e Krickitt Carpenter foi para mim um dos livros mais aguardados do ano. Desde que a Novo Conceito anunciou seu lançamento, ele passou a fazer parte da minha lista de prioridades e foi com muitas expectativas que passei esse livro na frente de vários outros e mergulhei na incrível história de amor e superação vivida pelo casal Carpenter.

A história de Kim e Krickitt é real, intensa, e incrivelmente linda, mas o livro falhou em conseguir passar para o leitor todas as emoções que os dois vivenciaram desde o acidente até a recuperação de Krickett.

A primeira falha do livro é anunciar que ele foi escrito pelo casal, quando na verdade temos apenas a visão de Kim sobre os fatos. Em nenhum momento ficamos sabendo como a Krickitt se sentiu durante todo processo, o que passava pela cabeça dela e o que a levou a superar tudo e aceitar fazer parte de uma vida que ela desconhecia completamente.

Kim narra todos os detalhes desde o momento em que ele conheceu sua esposa até os anos depois do acidente, nada foi deixado de lado e talvez tenha sido exatamente esse o problema. A narrativa ás vezes chega a ser muito técnica, como um prontuário médico. Os fatos são narrados de forma muito direta e enxuta e suas palavras não conseguiram transmitir o turbilhão de emoções e dificuldades que eles viveram Algumas partes poderiam ser cortadas e outras deveriam ter sido melhor retratadas.

Um outra coisa que me incomodou bastante é o fato de que Krickitt só parece ter aceitado casar novamente com Kim por se sentir na "obrigação" disso. Ele ficou ao lado dela em todos os momentos e mesmo quando ela agia de forma grosseira, ele não desistia. Ficou claro para mim que tudo que ele enfrentou foi por amor a esposa, os sentimentos dele eram muito profundos e verdadeiros e tudo pelo que eles passaram parece ter aumentado ainda mais esse amor. 
Quanto a Krickitt ela parece ter sido levada pelos acontecimentos. Não acredito que ela tenha voltado a amá-lo, não como aconteceu a primeira vez. Acredito que ela tenha aceitado o fato de que Kim era seu marido e que se ela se apaixonou por ele um dia, ele deveria ser merecedor dos seus sentimentos. Além disso ele ficou ao lado dela durante toda a recuperação e ela percebeu que ele era um bom homem e que os dois mereciam uma segunda chance. A convivência mesmo difícil entre os dois fez nascer no coração de Krickitt um carinho e um amor baseado no respeito e gratidão.

Talvez essa minha visão dos fatos seja equivocada e eu esteja sendo radical demais, mas como Krickitt não teve a chance de contar os fatos através do seu ponto de vista, as minhas dúvidas e opiniões sobre o que realmente a levou a voltar com Kim vão continuar sendo estas.

O livro tem um quê de auto-ajuda e fala muito sobre a fé em Deus. De acordo com Kim foi exatamente a fé e o seu amor incondicional por Krickitt que o mantiveram forte mesmo quando tudo parecia impossível de se resolver. Confesso que me perguntei muitas vezes durante a leitura como alguém é capaz de amar de forma tão profunda e inabalável e através dessa incrível história eu pude perceber que o amor verdadeiro, aquele é que um se doa e abre mão de tudo para que a pessoa a quem ama seja feliz, ainda existe.

A história de Kim e Krickitt Carpenter tem um começo lindo, um meio trágico e um final... bem, o final eles ainda estão escrevendo, mas depois de tudo que eles enfrentaram tenho certeza de que cada dia de suas vidas é uma peça a mais na construção de um final feliz.

P.S.: Algo me diz que por mais que o filme tenha se inspirado no livro, vou gostar muito mais dele do que da história real. Não porque a história real não seja bonita, pelo contrário ela é incrível de um jeito que as vezes nem dá pra acreditar. O problema é que não souberam escrevê-la.


7 comentários:

  1. Oi Caline,

    Está na fila, ainda não me deu aquela vontade de ler. Muita gente está falando mesmo sobre a narrativa, pretendo ler tendo em mente que é não-ficção e espero gostar. ^^

    beijos

    ResponderExcluir
  2. Queria muito ler esse livro, mas a maior parte das resenhas são negativas e assim como você todo mundo enfatiza a parte da linguagem técnicas e todos os detalhes médicos...
    Também tenho a mesma impressão de que vou gostar mais do filme ^^

    Beijos.
    #Resenha falada.

    ResponderExcluir
  3. Já li bastante pontos positivos sobre o livro =D
    parabéns pela resenha

    Lucas/ Era uma vez...
    http://livrosecontos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Nossa, é uma pena que você não tenha gostado tanto do livro quanto você esperava que fosse gostar. Eu realmente me sinto muito desapontada quando isso acontece.
    Assim como você, já vi várias pessoas dizerem que a narrativa é muito técnica, que não se aprofunda no romance e como você mesmo disse, que parece mais um livro de "auto-ajuda".
    Eu tinha muitas expectativas a respeito desse livro, mas diminui depois de tantas resenhas negativas. :/ É uma história que tinha tudo para ser emocionante, mas pecou.

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  5. Cara, é verdade, eu cheguei a pensar isso, que a Krickitt acabou ficando com ele por conveniência, mas eles duram até hoje e sei lá, eu meio que tenho esperanças de que esse amor lindo seja real. Bom, eu espero que exista. UHAHUAHUAUHUHAUHA Mas a sua visão faz mais sentido do que a minha, com certeza; Beijos. Tudo Tem Refrão

    ResponderExcluir
  6. Eu olho pro livro e penso exatamente nas suas palavras, um começo bonito, um meio trágico e um fim ainda em andamento. Ainda não li, não sinto que eu vá aproveitar com o humor que eu to. Esse fica pra depois. =)

    ResponderExcluir
  7. Gosto da sua sinceridade nas resenhas e seu estilo é um pouco parecido com o meu, quanto a não muito romancezinho nenhém, haha. Acho que eu teria a mesma opinião que você ou ao menos parecida. Creio que eu leria num dia de tédio ou enquanto espero na sala de um médico. Como é leve, deve ser uma leitura leve, mas nada extraordinária.

    Beijo!

    ResponderExcluir

Participe do blog... Deixe seu comentário!!!
Sua opiniões, idéias, sugestões... são muito importantes para mim.
Um xero!
P.S: Comentários anônimos não serão aceitos!!!

 
Mundo de Papel © Tema base por So Kawaii. Tecnologia do Blogger.