Um Mundo Brilhante - T. Greenwood

Título Original: The Glittering World
Data de Publicação: 2012
Número de Páginas: 336
Editora: Novo Conceito
Classificação:



Quando o professor Ben Bailey sai de casa para pegar o jornal e apreciar a primeira neve do ano, ele encontra um jovem caído e testemunha os últimos instantes de sua vida. Ao conhecer a irmã do rapaz, Ben se convence de que ele foi vítima de um crime de ódio e se propõe a ajudá-la a provar que se tratou de um assassinato. Sem perceber, Ben inicia uma jornada que o leva a descobrir quem realmente é, e o que deseja da vida. Seu futuro, cuidadosamente traçado, torna-se incerto, pois ele passa a questionar tudo à sua volta, desde o emprego como professor de História, até o relacionamento com sua noiva. Quando a conheceu, Ben tinha ficado impressionado com seu otimismo e sua autoconfiança. Com o tempo, porém, ela apenas reforçava nele a sensação de solidão que o fazia relembrar sua infância problemática. Essa procura pelas respostas o deixará dividido entre a responsabilidade e a felicidade, entre seu futuro há muito planejado e as escolhas que podem libertá-lo da delicada teia de mentiras que ele construiu. Esta, enfim, é uma história fascinante sobre o que devemos às pessoas, o que devemos a nós mesmos e o preço das decisões que tomamos.

Sabe aquele livro que você começa a ler esperando uma coisa e encontra outra completamente diferente? Foi exatamente assim com Um Mundo Brilhante de T. Greenwood, mas não de forma negativa.

O legal de começar uma leitura sem ter lido nenhuma resenha ou comentário sobre ele antes, é não saber o que te espera e se surpreender a cada frase, cada página, cada situação inesperada.
A frase na capa do livro e a sinopse na orelha me prepararam para uma história com uma carga emocional muito grande e muito drama, pelo menos era isso o que imaginava.
Minha intuição de leitora não falhou completamente, Um Mundo Brilhante é um livro que mistura um pouco de tudo: romance, drama, suspense, mas nada muito intenso, muito pesado ou muito profundo. Talvez a história de Ben consiga fazer com que você reflita um pouco sobre a sua vida, nada mais que isso.

O romance é um pouco confuso tanto que eu ainda nem sei se posso considerar "aquilo" como um romance. O suspense deixa um pouco a desejar. Ficamos curiosos para saber quem foi o responsável pela morte do rapaz, como e porque aconteceu, mas não é nada que instigue nosso "espírito detetive" como os livros de Sheldon ou do Harlan Coben.

É no drama que está o ponto forte do livro, o romance e o suspense servem apenas para dar uma elaborada a história e deixar o leitor mais interessado. Mas na verdade são as dúvidas, as incertezas, as fraquezas e os medos de Ben - personagem principal - que guiam a história.

Por falar em Ben ainda não sei o que sinto por ele. Raiva, indignação, mas no final das contas acho que sinto mesmo é pena, por seu caráter fraco, por não conseguir viver os seus sonhos, realizar os seus desejos, ir em busca da sua felicidade. No início ele fica meio confuso sobre que caminho tomar, mas depois as coisas ficam claras e ele sabe exatamente o que tem que fazer mas não tem coragem pra isso. Ele tem medo de deixar algumas coisas para trás, medo de fazer outras pessoas sofrerem.

Admirei as mulheres, Shadi e Sara. Suas personalidades fortes, decididas, independentes. Eram mulheres que sabiam exatamente o que queriam da vida e que se esforçaram muito para conseguir, independente dos meios usados.

O livro é dividido em alguns capítulos "coloridos". Cada cor escolhida tinha ligação com os momentos e dificuldades pelos quais Ben estava passando. No desenrolar da leitura conhecemos um pouco mais do passado e da infância de Ben através de flashbacks, que foram usados principalmente para mostrar a relação dele com a irmã Dusty que morreu quando eles ainda eram crianças. Apesar de interessante, os flashbacks não acrescentaram nada de importante a história, eu esperava que ao lembrar-se da irmã isso pudesse influenciar de alguma forma nas decisões que ele tomaria, ele podia perceber como a vida é curta e merece ser vivida da melhor forma possível, mas nada o tirou daquele estado de torpor em que ele vivia.

A culpa é do Ben.
Um Mundo Brilhante é um livro que nos faz refletir sobre as decisões que tomamos ou que deixamos de tomar e como isso afeta a nossa vida e a vida das pessoas que estão a nossa volta. A idéia do livro é muito legal e tinha tudo pra me conquistar completamente, mas como já disse antes a culpa é do Ben.
Não me conformo com sua forma de agir, ou melhor dizendo, de não agir. Ele vive em um estado tal de desesperança, apatia e incapacidade de fazer algo com relação à vida dele, que o único sentimento que despertou em mim foi irritação e decepção. Minha vontade era pegar ele pela camisa e dar umas sacudidas, depois o mandar ser um homem de verdade e tomar as decisões corretas.

Sem grandes surpresas ou fortes emoções, Um Mundo Brilhante foi uma leitura gostosa e que me prendeu do início ao fim. Não é um livro marcante mas com certeza te fará refletir sobre algumas decisões que você já tomou ou deixou de tomar na vida.

Esperança. Ele sabe agora que a esperança é uma criança abortada, concebida, mas nunca realizada. É o sonho que termina enquanto ainda estamos adormecidos. A oração que não recebe resposta. É simplesmente o cordão frágil ao qual um homem desesperado se agarra, mesmo quando ele se desenrola, desenrola e desenrola.
P.336


P.S.: Se o livro não conseguiu me encantar com a história de Ben, a Novo Conceito conseguiu me surpreender com um trabalho de diagramação quase perfeito.
A capa é linda, cheia de glitter que não sai na mão enquanto você o manuseia durante a leitura.
Quanto a tradução também está muito bem feita, apenas alguns erros mínimos que não influenciam em nada, nada mesmo a leitura.
A Novo Conceito está de parabéns.

13 comentários:

  1. Muitas vezes eu compro os livros pela capa e só depois penso na história...Vou comprar esse livro para ver se me agrada....Parabéns e obrigada pelo comentário.

    ResponderExcluir
  2. Ei Caline, gostei muita da sua resenha, mas não gostei do enredo do livro. Ele já não tinha me atraído pela capa, que mesmo cheia de glitter já me deu essa impressão de ser entediante como uma dia de chuva que está na imagem. Pode até não ser entediante, mas também não sou tão fã de dramas, então, deixa pra lá.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Oi Caline, tudo bem?

    Poxa eu jurava que esse livro era aquele que a gente se acaba de chorar, daqueles que nos emocionam muito sabe? É uma pena, mesmo assim, estou bem curiosa, preciso lê-lo logo!

    Beijos

    Pah, Livros & Fuxicos

    ResponderExcluir
  4. Ai esse mundo brilhante me persegue, vou ter que comprá-lo de qualquer jeito. HAHA!

    Ah, tomara que eu consiga manter o blog bem bonitinho mesmo UAHUAUAHU. Obrigada por ter passado lá.

    Beijos http://tudotemrefrao.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Ei, oie! Estou terminando de ler o livro agora e só posso concordar em absoluto com você! O Ben é irritante! Apesar disso, o livro é bom. Nada muito elaborado, é claro, mas singelo, sim.
    Ótima resenha!

    Inara
    http://lerdormircomer.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Eu ainda não comecei a ler o livro mas sua resenha me deixou um cadinho com o pé atrás. Nada que vá influenciar muito na minha leitura.
    Estou com bastante expectativas a respeito desse livro, então só vou poder dizer algo quando ler.

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
  7. É a segunda resenha que eu vejo, mas ainda continuo sem curiosidade... Estou participando de um sorteio, então se ganhar, vou poder tirar minhas próprias conclusões.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Acho que eu sentia a mesma ocoisa que você, ao ler esse livro. Sinto vontade, mas não aquela imensa curiosidade "oh preciso ler". Mas que bom que foi sincera na resenha! Vo ler sem nenhuma expectativa e ver se curto. :)

    Beijos

    ResponderExcluir
  9. A sinopse me interessou muito! E sua resenha me deixou bastante curiosa :D Cara, acho que vou ler esse livro, mais um na listinha! Obrigada por essa ótima resenha e dica :3

    Beijos, Carol Espilotro
    http://carolespilotro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oii!
    Gostei bastante da sua resenha, ainda não li o livro, mas tb não sei se vou gostar muuuito... Mas estou ansiosa, já li resenhas positivas e umas nem tanto! :P
    A capa e a diagramção ficaram muito boas mesmo!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oi Caline,

    A diagramação está excelente mesmo, a capa idem!
    Ainda não li e não sei o que irei achar...

    Bjs

    ResponderExcluir
  12. Bom, você leu a resenha lá no CH e sabe qual é minha opinião sobre o livro, haha ;P eu me encantei pela capa, mesmo, mas pra mim faltou algo nessa história. Apesar de que sou suspeita pra falar porque não sou a maior fã de drama. Enfim, sua resenha esta ótima.
    Isabela.

    ResponderExcluir
  13. Oi Caline!
    Adorei a sua resenha!
    Que pena que foi somente "três estrelas".
    Eu estava esperando mais do livro... agora você me deixou com o pé atrás.
    O pior é que a fila está grande aqui, então ainda vai demorar um pouco para eu conseguir dar a minha opinião. :s
    Bjoo!

    ResponderExcluir

Participe do blog... Deixe seu comentário!!!
Sua opiniões, idéias, sugestões... são muito importantes para mim.
Um xero!
P.S: Comentários anônimos não serão aceitos!!!

 
Mundo de Papel © Tema base por So Kawaii. Tecnologia do Blogger.